#JornalismoFazBem: ANER apoia campanha de valorização do jornalismo no combate à desinformação

A Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) apoia a campanha #JornalismoFazBem, lançada nesta semana pela Associação Nacional de Jornais (ANJ). A iniciativa valoriza o jornalismo como principal antídoto à desinformação, em uma frente que também reforça outra ação coletiva da qual ANER e ANJ estão integradas: a Coalizão Liberdade com Responsabilidade.

A primeira etapa da campanha #JornalismoFazBem, que inclui anúncio para impressos e digital, além de material circulando nas redes sociais, destaca o papel decisivo da atividade jornalística profissional para a preservação e para o aprimoramento da democracia, bem como na defesa pelas liberdades de imprensa e de expressão.

Líderes das redações de jornais e de revistas do país têm participado da campanha, iniciada na última terça-feira (15), Dia Internacional da Democracia, enfatizando detalhes do papel do jornalismo no processo democrático. “Não há democracia sem jornalismo nem jornalismo sem democracia”, sintetiza Linda Bezerra, Editora-Chefe do jornal Correio*, da Bahia. “O direito à informação é uma das premissas da democracia. O jornalismo cumpre esse papel quando traz o contraditório, é diverso, honesto, confiável e plural”.

Para os jornalistas, a acelerada propagação de desinformação nas redes sociais reforça a relevância do jornalismo. “Em tempos turbulentos, de desinformação, a notícia bem apurada é um norte, um leme, e ganha cada vez mais importância em sua função social, diz Linda. “A democracia não existe sem a verdade. Em tempos de fake news, a informação isenta, bem apurada e que dá voz ao pluralismo se faz cada vez mais necessária para o bem de todos”, ressalta Daniela Tófoli, Diretora Editorial da Editora Globo.

O jornalismo, segundo os líderes de redação, também contribui para o progresso das sociedades. “Jornalismo faz bem para a vida em sociedade, contribui com o debate, cobra, enfrenta, antecipa tendências, enfim, joga luz ao que está obscuro”, afirma Elaine Silva, Editora-Chefe de A Gazeta, do Espírito Santo. “O jornalismo é a voz do povo a serviço da verdade e faz muito bem à democracia”, completa Telmo Flor, Diretor de Redação do Correio do Povo, do Rio Grande do Sul.

Segundo a jornalista Marta Gleich, Diretora de Jornalismo de Jornais e de Rádios do Grupo RBS, também do Rio Grande do Sul, a imprensa livre e qualificada permite que a sociedade avance, ao debater a solução dos seus problemas. “Em uma era de tanta radicalização e desinformação, o jornalismo profissional, independente e investigativo se torna ainda mais necessário, para garantir a pluralidade, a verdade e a divulgação de fatos checados”, diz.

No entendimento de Laurindo Ferreira, Diretor de Redação do Jornal do Commercio, de Pernambuco, democracia e jornalismo são complementares. “Democracia é respeito à opinião contrária e jornalismo é estar sempre atento às várias opiniões. Democracia é o direito de exercer sua liberdade e jornalismo é a liberdade de expressão do seu direito. A democracia não foge ao debate e o jornalismo fica ainda mais rico com a pluralidade das ideias.”

A campanha publicitária foi criada pela Tailor Media, agência de inteligência de mídia que atende a ANJ.

Selecionamos outros textos para você