Em websérie, Palavra Aberta mostra como o jornalismo é feito

 

Projeto “Conhecer para Defender” integra ações pelo Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

O Instituto Palavra Aberta lançou, no dia 4 de maio, com apoio do Facebook, uma iniciativa para valorizar e fortalecer o papel do jornalismo e engajar a sociedade na defesa da liberdade de imprensa.

Por meio de uma websérie, o projeto “Conhecer para Defender” vai explicar os caminhos e procedimentos adotados por jornalistas profissionais desde a elaboração da pauta até a publicação da notícia, como forma de aumentar a confiança em seu trabalho.

“Neste momento em que recebemos tanta informação e de tantas maneiras, com graus variados de confiabilidade, é importante ‘abrir a cozinha’ e mostrar como o jornalismo é feito, como se diferencia de outros tipos de conteúdo e sua relevância para a sociedade”, afirma a presidente do Instituto Palavra Aberta, Patricia Blanco.

A iniciativa integra um conjunto de ações pelo Dia Internacional da Liberdade de Imprensa, celebrado pela Unesco em 3 de maio. E é particularmente importante diante do cenário delicado pelo qual o mundo está passando, com a pandemia do novo coronavírus.

Entre os dias 4 e 8 de maio, os cinco episódios da websérie serão publicados nas redes sociais do Instituto Palavra Aberta e de organizações da sociedade civil que apoiam a causa.

Para Monica Guise Rosina, gerente de políticas públicas do Facebook no Brasil, ao ajudar as pessoas a entender como o jornalismo funciona, “acreditamos que estamos apoiando a sociedade a valorizar a pluralidade de ideias e a liberdade de imprensa”.

“Sabemos que conhecimento ajuda as pessoas a tomarem decisões mais informadas, por isso o Facebook apoia essa iniciativa”, finaliza.

O objetivo da parceria é que, a partir do entendimento de como o jornalismo funciona, diversos grupos e organizações da sociedade civil possam reconhecer e defender o papel da imprensa profissional como antídoto à desinformação. Mesmo no caso de críticas, esse conhecimento contribuirá para que sejam mais assertivas.

“Críticas a uma produção jornalística são saudáveis — e podem contribuir para que o trabalho seja sempre aprimorado. O que não pode acontecer é uma demonização generalizada da imprensa como instituição. Isso só interessa àqueles que não querem uma imprensa forte e atuante”, diz Patricia Blanco.

O projeto soma-se a outras iniciativas do Palavra Aberta no combate à desinformação. A instituição também lidera o EducaMídia, programa lançado em 2019 para capacitar e engajar educadores no processo de educação midiática de crianças e jovens.

Para assistir aos episódios, clique aqui.

Divulgação: Instituto Palavra Aberta – 4/5/2020

Selecionamos outros textos para você