Webinar discute opções para assinaturas de conteúdos

12 de agosto de 2021

O encontro desta quarta-feira, 11 de agosto, na série de webinars O Futuro já Passou? trouxe para debate o tema assinaturas de conteúdos, na economia de recorrência. Participaram do encontro JP Sette, da Social Comics, uma plataforma de quadrinhos digitais via streaming; e Rodrigo Dantas , da plataforma de cobranças digitais Vindi.

Durante o encontro, os dois empresários discutiram alguns entraves que dificultam o modelo de assinaturas para o conteúdo.

Veja alguns pontos da conversa levantados por Rodrigo

Dificuldade de acesso: Temos 50 milhões de pessoas sem conta em banco. Então elas não conseguem comprar produto digital.

Bons exemplos: O mercado editorial ensinou a gente a comprar assinaturas, como o clube do livro, círculo do livro. Casos somo Leiturinha, Tag Livros, são mercado editorial também e conseguiram construir bons modelos por onde caminhar.

Novos produtos: Bancas de jornais hoje não são literalmente banca de jornal e revista. Vendem bebidas, cartões pré pagos, doces e o editorial da banca é meio secundário. O que as grandes editoras fizeram com clientes fiéis? Houve uma série de coisas que aconteceram no caminho e dificuldade em prever o que haveria de acontecer.

Relação com os impressos: Eu tenho saudade de ler livros e visitar livrarias. Nossa geração está perdendo essa relação com os impressos como nós nos relacionávamos. O perfil de consumo mudou e agora temos que nos readequar.

Alguns pontos levantados pelo JP

Projeto Social Comics:  Somos focados no conteúdo, temos muitos quadrinhos para quem gosta, mas acho que o problema que passamos até hoje é que os produtores de conteúdo nunca pensaram no digital, na real. Quem cria em quadrinho, não pensa no digital,não pensa na tela. Ele pensa na página que vai desenhar. Os sites como o social tentam simular uma experiência que é física no digital Disney Plus, Netflix etc., bebem dos quadrinhos e livros. O universo Marvel está aí para mostrar. E as pessoas querem consumir isso na fonte. Mas vemos muitos usuários que dizem que não têm onde ler e baixam o arquivo pirata, porque o oficial não quer usar uma economia de recorrência.

Prensa de Gutemberg:  Eu faço uma brincadeira que deve doer para alguns, mas o mercado editorial é a mesma prensa de Gutemberg: só ficou mais rápida e colorida. O restante é a mesma coisa. Só se entende a fórmula de: custou tanto para produzir, custa tanto para distribuir, vou vender por tanto e tanto é meu. Não acontece uma renovação deste comportamento. E a gente sofre isso em todo o mundo. Editoras japonesas não querem saber de streaming para a venda de mangás. O mesmo com editoras americanas. O raciocínio é: “eu não faço e não vou deixar ninguém fazer”. E no social, desde 2015, tentamos desbravar isso, conversamos com vários editores, trouxemos artista independentes, que são a base. O Brasil tem muitos artistas muito bons, histórias incríveis que estão no mundo inteiro.

Formato NFT:  Estamos estudando um novo formato de compra de quadrinhos, que será registrado em blockchain e terá ID único, assim o compraador terá propriedade sobre o arquivo digital. A tecnologia está pronta para lançar e já temos parceiros com contrato assinado.

Criando para telas:  Acreditamos que temos produtos que são pensados para o digital. Na Eleven estamos produzindo uma série de animação que se chama Wardogs, junto com a RedNose, em que os quadrinhos não são pensados para páginas, mas para telas. A leitura é muito mais confortável, o usuário não precisa ficar dando zoom para ler. Essas mudanças de paradigma de produzir conteúdo pensado para tela e dar um senso de propriedade para um arquivo editorial digital pode mudar muito este cenário.

O Ciclo de Webinars faz parte do empenho da Associação para aumentar a troca colaborativa entre os editores, trazendo como tema questões importantes para o universo dos publishers. Desde o início do Ciclo, no dia 7 de julho, profissionais do mercado vêm compartilhando suas experiências e apresentando aos editores modelos de negócios que podem ser implementados em várias praças. Veja a programação dos próximos webinars e saiba como participar aqui.

 

Selecionamos outros textos para você