Veja como o Tortoise está ganhando público com notícias “lentas”, eventos e áudios

Lançado há dois anos no Reino Unido, o canal Tortoise se destaca por manter um noticiário selecionado, com apenas alguns tópicos e histórias, e sem o objetivo cobrir as notícias de última hora. Outra característica do canal é a sua abertura para que os membros comentem sobre as decisões editoriais da publicação.

A CMO e parceira da Tortoise Media, Liz Moseley, participou recentemente do Fórum Francófono da WAN-IFRA  : Abonnements numériques (assinaturas digitais). Nesta matéria da WAN-IFRA, estão indicações sobre como essas ferramentas e modelos funcionam e já levaram o Tortoise a conquistar 110.000 membros.  Veja algumas das inovações criadas pelo canal:

  • Cerca de metade dos membros paga por sua própria associação, enquanto a outra metade é financiada pelos parceiros corporativos do Tortoise (Tortoise Network), em colaboração com instituições de caridade, permitindo trazer pessoas que de outra forma seriam excluídas do acesso à publicação.
  • Promoção de eventos ThinkIn, baseados na ideia da conferência editorial. Mas, em vez de a redação discutir seu ponto de vista editorial e agenda de notícias internamente, membros e palestrantes externos também são incluídos nessas conversas.
  • Boletim informativo diário, acesso ao aplicativo exclusivo para membros e acesso antecipado aos produtos de áudio da publicação.
  • Formatos diferenciados de áudio, com narrativas de assuntos mais longos, analíticos.
  • Organização de encontros entre executivos seniores em redes e fóruns privados.
  • Novas plataformas de áudio, como o Twitter Spaces e o Clubhouse para obter rapidamente uma opinião coletiva sobre uma notícia ao vivo.

Veja mais no site da WAN-IFRA

Selecionamos outros textos para você