Sessão no Senado celebra 40 anos da ANJ

MEIO&MENSAGEM – 16/08/2019

Fundada em 17 de agosto de 1979, a Associação Nacional de Jornais inicia o ciclo de comemoração de seus 40 anos. Em sessão solene realizada nessa quinta-feira, 15, no Senado, representantes da entidade, jornalistas, publishers e políticos ressaltaram a importância da liberdade de imprensa e os desafios da produção de conteúdo jornalístico no atual contexto social e político.

Marcelo Rech, presidente da ANJ e vice-presidente editorial e institucional do Grupo RBS, destacou o cenário ameaçador aos veículos, em particular à recente medida provisório que retirou obrigação de publicação de balanços financeiros de empresas de capital aberto em jornais, colocando o Brasil no “rol de países que usam instrumentos oficiais para retaliar veículos e intimidar a imprensa”. Rech também lembrou as oportunidades de conhecimento, acesso e distribuição dos meios digitais, alertando também para problemas como fake news: “a saída mais democrática e efetiva é o reconhecimento da comunicação profissional”.

Também discursaram Rafael Menin Soriano, presidente da Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner) e general manager da área jurídica da Infoglobo; Paulo Ricardo Tonet Camargo, presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo; Caio Barsotti, presidente do Conselho Executivo das Normas-Padrão (Cenp); a ex-senadora Ana Amélia Lemos e os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP); Fabiano Contarato (Rede-ES); Jorge Kajuru (Patri-Go); e Lasier Martins (Podemos-RS) autor do requerimento da sessão solene.

Em 17 de outubro, a ANJ realiza novo seminário, desta vez em São Paulo, sobre o tema “Combate à Desinformação: Antídotos e Tendências”. A associação tem cem associados, que representam 90% do público leitor de jornais no Brasil, seja nas plataformas impressas ou digitais.

Selecionamos outros textos para você