Programa do Google foi desenhado para atender os pequenos e médios publishers

21 de junho de 2022

Ricardo Fiorotto respondeu perguntas e tirou dúvidas sobre o programa de mentoria do Google

O Café com Aner recebeu, na tarde de terça-feira, dia 21 de junho, o gerente de parcerias estratégicas da indústria de notícias do Google, Ricardo Fiorotto, para um bate papo sobre os critérios para participação no mais novo programa de mentorias do Google para publishers brasileiros: Google News Initiative Local Lab Brasil.

O programa tem como objetivo acompanhar, dar mentoria e colaborar na decisão sobre investimentos em tecnologia digital e na escolha de estratégias de negócios, com foco em pequenas e médias empresas de comunicação, sejam elas jornais, revistas, sites, TVs ou rádios.

“Para mim essa é a beleza do Local Lab”, comentou o Fiorotto. “A gente sabe que, normalmente, dependendo do projeto, os pequenos e médios veículos acabam não passando nas seleções de mentoria. Seja porque não têm audiência, ou quantidade de jornalistas… Mas o Local Lab tem foco exatamente nestes pequenos. É feito par quem precisa! Imagine quanta gente está sofrendo por aí, com um impresso e não sabe para onde ir?  Imagina o nativo digital que iniciou em um blog, podcast, e agora está tentando organizar a casa e ter um público robusto? É para eles que esse programa foi criado”, destacou.

mulher cabelo curto louro com óculos vermelho e camisa laranja

Regina Bucco

homem branco, grisalho, de óculos e camisa azul clara

Ricardo Pedreira

O encontro contou com a participação dos diretores executivos da Aner, Regina Bucco e da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira.

 

Programa dará mentoria caso a caso

Os veículos selecionados para o programa serão analisados em profundidade por especialistas e consultores do Google, e vão ganhar uma mentoria com soluções e recomendações para aprimoramento e modernização dos modelos de trabalho, que serão compartilhadas por meio de relatórios, workshops e encontros.

O programa é uma parceria do Google com a Aner e diversas associações de jornalismo no país, como a Associação Nacional de Jornais (ANJ) e a Associação de Jornalismo Digital (Ajor).  As inscrições já estão abertas neste link até o dia 26 de junho.

Serão selecionados até 100 veículos de comunicação locais de pequenos e médio porte, que receberão apoio para capacitação ao longo de 10 meses, tanto do ponto de vista do desempenho quanto de monetização e negócios. A proposta do Google é promover um ecossistema jornalístico mais sustentável, profissional e diversificado no país.

Os participantes selecionados terão acesso ao projeto e à mentoria das associações. A parceria ainda vai trazer para todo o ecossistema de notícias uma série de workshops focados em entendimento do leitor brasileiro e melhores práticas para o trabalho jornalístico digital.

Critérios de seleção para o Programa GNI Local Lab Brasil

Podem participar empresas que tenham entre dois e cem jornalistas

De acordo com Ricardo Fiorotto, os casos serão estudados individualmente, mas podem participar empresas que tenham desde apenas dois até cem jornalistas. Por conta da análise individual e do trabalho conjunto com uma equipe técnica internacional, Fiorotto pede que as inscrições sejam feitas em inglês.

“E pode ser o inglês traduzido a partir do Google Translator, porque nosso objetivo não é avaliar a qualidade do seu inglês, mas sim o conteúdo do seu projeto!”, explicou.

Consultorias parceiras vão atuar diretamente em cada um dos cases

O trabalho inicial será selecionar os primeiros 100 cases que participarão do projeto. Na segunda fase, serão atendidas 40 iniciativas, que receberão atendimento individual dos consultores. As empresas parceiras do Google no Local Lab Brasil são a Raccoon.Monks e a Hypertext.

Neste projeto, em vez de investir dinheiro na empresa de comunicação, o Google decidiu pagar empresas de consultoria.

“Na verdade, o valor, para as empresas de comunicação, virá através das consultorias”, explicou Fiorotto. “Existem projetos, como o GNI Innovation Challenge que tem foco em financiamento de ideias. No caso do local web, em vez de entregar dinheiro, estamos entregando valor. O dinheiro vai para as consultorias para que tragam conhecimento que permaneçam dentro de cada uma das organizações”.

Critérios para participar

O GNI Local Lab Brasil aceita inscrições de publicações locais e regionais, que tenham de dois a cem jornalistas. O ideal é que a organização tenha seus problemas e dificuldades estruturados, para que os consultores possam entender o caminho e as ansiedades a serem resolvidas. Também será considerado o quanto a organização investe em inclusão.

Os veículos selecionados devem ser anunciados a partir do dia 16 de julho. O passo a passo para inscrição pode ser encontrado neste link .

Fases diferenciadas para veículos de acordo com nível de maturidade

A primeira fase do projeto começará em agosto e se estenderá até o fim e outubro. Nesta fase, serão agrupados os veículos que têm interesses semelhantes e desafios parecidos, no formato 1 to many. Nesta etapa, Fiorotto destaca a importância do networking, para que a troca de informações seja eficiente.

A segunda fase começará em novembro e, nela, serão mantidos os veículos que tiverem maturidade empresarial suficiente para aprofundar as estratégias. Ela seguirá no formato  1 to 1, com as consultorias parceiras pensando os projetos individualmente, com cada uma das empresas.

“Vamos rodar uma pesquisa, fazer um diagnóstico e montar um Canvas estratégico de cada empresa, que terá a assessoria de negócios. Nesta fase, vamos colocar todos em um simulador de negócios em formato de jogo de tabuleiro. Ele simula a experiência de administrar uma empresa. E o jogador aprende como pensar estratégias, com a vantagem de poder errar, porque está no simulador”, conta Fiorotto.

Veja algumas perguntas:

Não tenho dois jornalistas registrados, tenho apenas um jornalista e um estagiário. Mas tenho parceiros de conteúdos e articulistas. Preciso ter dois jornalistas registrados para inscrever o projeto?

Não precisa. Apesar de o estagiário ser ainda um estagiário, ele também é reconhecido como um produtor de conteúdo.

Os jornalistas precisam ser registrados ou podem ser contratados como pessoas jurídicas?

Não precisam ser todos contratados como pessoas físicas.

Minha empresa tem veículo de TV, impresso e web. Devo contabilizar todos os jornalistas ou apenas os que trabalham na web?

Pode contabilizar todos.

Tenho que descrever a estratégia já pensando o que será o projeto ou posso escrever sucintamente tudo que desejaríamos abordar?

Descreva os objetivos do projeto. Por exemplo: “nosso foco é aumentar audiência e, como estratégia, quero atender melhor meu público criando conteúdo audiovisual”. Todo o detalhamento será observado pela Hipertext que é a especialista nisso.

Ainda não registramos CNPJ. Não lançamos oficialmente nosso projeto pois ainda estamos vinculados à um jornal tradicional. Podemos participar?

Podem sim. Na verdade, precisamos do CNPJ para fechar o contrato. Então, você pode fazer a inscrição pela empresa principal e destacar que o site com que vcs querem trabalhar é o do Ancora dos Fatos.

 

Perdeu o Café com Aner? Clique aqui para assistir a íntegra do bate-papo .

Quer ficar por dentro das notícias sobre a Aner, do mercado editorial e das novidades sobre tendências em jornalismo? Clique aqui e assine a Newsletter Aner.

Para acompanhar e participar dos fóruns internos de discussão sobre Logística, Jurídico, Tributário, Tecnologia e Inovação para empresas jornalísticas? Mande um e-mail para a Aner e torne-se sócio!

Selecionamos outros textos para você