Patrícia Garrido: ‘O digital demanda diferentes pontos de vista para ser melhor compreendido’

04 de outubro de 2021

A nova edição da Revista Cenp traz uma entrevista com a coordenadora do Comitê Técnico Digital (CTD), do Cenp, Patrícia Garrido. O comitê foi formado para dar apoio técnico e assessoramento aos assuntos relacionados à autorregulação na comercialização de mídia em ambiente de internet, dentro do contexto do Conselho Executivo das Normas Padrão (Cenp). Formada em Administração de Marketing, Patrícia trabalha com o digital desde 2011. Já esteve na Microsoft, no Facebook, na Discovery e, desde março, no Nubank, onde é diretora de Marketing de Produto e Insights.

“Estamos aqui para muito diálogo, porque o digital não é um objeto pronto para ser estudado e desvendado, é algo vivo, complexo e em movimento e que por isso demanda diferentes pontos de vista para ser melhor compreendido.”

O Comitê é formado por 18 membros, profissionais com atuação em publicidade na internet, constituído, paritariamente, por representantes de Agências, Veículos e Anunciantes aprovados pelo Conselho Superior. De acordo com Patrícia, um dos ganhos do Comitê á a pauta flexível, que aborda temas variados e permite o retorno de questões para que sejam visualizadas por outros ângulos. Ela comemora o engajamento crescente das agências digitais no CTD, citando a entrada de três novos integrantes em agosto.

“Eles trouxeram pontos que até já havíamos discutido antes, mas que, quando vistos por novos ângulos, podem demandar reavaliações, importante ouvir. Nossa preocupação é sempre garantir assento para todos nesta enorme praça. O desafio é tornar a praça mais inclusiva, mais porosa. Isso é essencial porque há casos de players que, pela definição, são veículos, mas não se posicionam assim, e outros que não se qualificam como veículos, mas vêm pleitear esta condição”.

Clique aqui e baixe a entrevista na íntegra

Foto: Reprodução de internet

 

Selecionamos outros textos para você