Pais&Filhos discute importância de criar crianças antirracistas na edição de julho

Com informações da Pais&Filhos

A revista reforça que o movimento precisa da participação de todos para resultados efetivos e a mudança começa dentro de casa.

A Pais&Filhos lança mais uma edição especial. Dessa vez a publicação abre os olhos para a discussão sobre o racismo no Brasil e de que forma é possível reverter esse cenário com práticas e hábitos simples dentro da própria casa. Assinada por Paula Batista, jornalista, especialista em mídia, informação e cultura e mestre em divulgação científica e cultural pela Unicamp, e criadora do blog @serantirracista, a matéria parte da experiência pessoal dela como mulher negra e indica alternativas para os pais educarem as crianças de forma antirracista.

A capa também é um destaque dessa edição por trazer uma ilustração no lugar de foto. A arte é assinada por Lila Cruz, ilustradora baiana dona do perfil @colorlilas, e reforça a importância da educação e participação de todos para mudar a realidade atual. Nela, temos uma mulher apresentando o mundo, valorizando o respeito à diversidade. O primeiro passo começa em casa, pode e deve ser feito por todas as famílias.

Com exclusividade, a publicação também traz alguns dados do Google sobre as pesquisas relacionadas ao tema, como o aumento de busca em relação ao termo racismo em mais de 400% desde o início de junho. “Mais do que mostrar números como esses, a reportagem indica caminhos para alcançar essa mudança. É preciso parar e refletir, trocar experiências e entender que cada um tem o seu lugar, mas é necessário a participação de todos nessa luta”, explica Andressa Simonini, editora-executiva da Pais&Filhos.

Ao longo de oito páginas, a matéria discute sobre mudar a perspectiva de um mundo com representação, que temos atualmente, para um mundo com representatividade, de fato. O diálogo é o caminho para conscientização, que vai muito além do que está escrito no papel, mas é um movimento constante e progressivo, incluindo cada vez mais agentes. A edição de julho também conta com matérias de dicas para lidar com os famosos pitacos em relação à maternidade, a libertação da culpa e uma entrevista especial com Miá Mello sobre os desafios e belezas de ser mãe de Nina e Antônio, que fará parte do 9º Seminário Internacional Pais&Filhos.

“Acreditamos na pluralidade e que não existe um único jeito certo de criar os filhos, mas o seu jeito, de acordo com a realidade de cada família. Estamos aqui para ajudar esses pais e mães na missão de formar famílias mais felizes”, completa Adriana Cury, diretora geral da Pais&Filhos.

Ao longo dos 51 anos de existência, a Pais&Filhos, produtora e distribuidora de conteúdo direcionada ao segmento parenting, passou por imensas mudanças para poder continuar e acompanhar todas as evoluções do mundo e das famílias brasileiras. “Lançada em 1968 como primeira revista segmentada do Brasil, a Pais&Filhos sempre esteve à frente do seu tempo e tem a missão de formar famílias mais felizes, levando o jornalismo e a informação para que os leitores possam fazer suas próprias escolhas”, afirma Marcos Dvoskin, presidente do conselho da Pais&Filhos.

Selecionamos outros textos para você