Movimento slow media: Pare de alimentar a máquina de notícias

06 de setembro de 2021

Artigo na WAN-IFRA chama atenção para um movimento que está nascendo para alertar sobre o excesso de lixo produzido no noticiário. Em busca de audiência e engajamento, as empresas de comunicação e principalmente produção de conteúdo editorial colocam seus jornalistas para alimentar dezenas de canais ao mesmo tempo, se esquecendo da qualidade do produto. Afinal, vale a pena?

Inspirado no Movimento Slow Food, que busca alimentos de qualidade, produzidos de uma forma que não prejudique o meio ambiente, tenham um preço acessível e dêem um retorno justo aos seus produtores, Peter Laufer, um premiado autor e jornalista, lançou seu Movimento Slow News – uma abordagem “mais saudável” ao jornalismo, oferecendo ao público uma dieta de notícias equilibrada e nutritiva.

Segundo Laufer, postagens em mídias sociais, vídeos, podcasts, blogs, reportagens de TV e rádio são muito barulho por nada.

“Apenas fazer mais barulho em mais plataformas não é útil para o jornalista”, diz o autor, destacando que são tantas atribuições, que o jornalista “não tem tempo para pensar e mal tem tempo para reportagens reais”. E continua:  “Reportagem de forma incremental só leva a um desperdício de emoção e cria uma sensação de ansiedade constante no público.”

Clique aqui e leia mais na WAN-IFRA.

Selecionamos outros textos para você