Mercado de comunicação aposta em relações mais humanas

PROPMARK – 12/01/2021

Kelly Dores

A expectativa é pela imunização dos brasileiros e a volta ao convívio social, chave para a retomada dos eventos e motor do consumo.

Com a expectativa pela vacinação da população contra a Covid-19, o mercado de comunicação no Brasil aponta para um ano em que a humanização das marcas estará em alta, ao mesmo tempo em que a digitalização dos processos e do atendimento aos consumidores continuará avançando. Para traçar um cenário, o PROPMARK ouviu dirigentes de agências de propaganda, de live marketing, veículos, anunciantes, plataformas digitais, empresas de OOH e produtoras, que falaram sobre suas perspectivas para 2021.

O sentimento é de esperança pela imunização dos brasileiros e da volta ao convívio social, essencial para a retomada de grandes eventos e mola propulsora do mercado. “2021 será um ano de recuperação. Com a vacina, o convívio social – motor do consumo – começará a se reorganizar. Muitos aprendizados se consolidarão. Acreditamos que a curva de crescimento que os meios digitais já vinham demonstrando pré-pandemia ficarão ainda mais acentuadas”, afirma André Chueri, sócio-presidente da Ampfy.

Para Marcia Esteves, CEO e partner da Lew’Lara\TBWA, o começo do ano será desafiador, com a população sendo vacinada e convivendo com as restrições. Em sua opinião, a economia deverá retomar o crescimento no segundo semestre. “Turismo, bares, restaurantes e eventos devem voltar com força total”, avalia a executiva.

Luiz Fernando Musa, CEO do Grupo Ogilvy Brasil e chairman da David, acredita que o pulso com o ser humano é o grande ponto. “A comunicação deve seguir o caminho da empatia, entender a mudança na escala de decisões, que verdades são mutáveis e estamos reaprendendo”.

Do lado dos anunciantes, há otimismo e a visão estratégica de humanizar as relações. “A estratégia mais eficaz é humanizar as relações e entender profundamente a jornada do consumidor para, muito mais do que atendê-los, surpreendê-los”, analisa Alexandre Costa, presidente e fundador da Cacau Show.

Opinião semelhante é a de Caito Maia, CEO da Chilli Beans. “As perspectivas para 2021 são boas. Mas, independentemente do meio, o que vai fortalecer as marcas é ter um olhar mais humano e transparente com o seu cliente, focando na experiência e na mensagem”, reforçou ele.

A humanização da comunicação foi quase um mantra repetido pelos entrevistados. “A comunicação e o atendimento humanizados serão ainda mais valorizados. O trabalho de comunicação estreitará ainda mais a relação com os clientes, facilitando a vida e a jornada de todos os consumidores, os atendendo onde, como e quando eles desejarem”, salientou Ilca Sierra, diretora de marketing e comunicação multicanal da Via Varejo.

Selecionamos outros textos para você