Insper lança pós-graduação em jornalismo de dados, automação e data storytelling

Novo programa vai formar comunicadores para serem peças-chave na transformação digital de organizações que atuam com produção de conteúdo.

De olho na necessidade de formar comunicadores capazes de trabalhar com dados e estatísticas, desenvolver ferramentas inovadoras para a produção de conteúdo e construir narrativas visuais atraentes, o Insper lança o Master em Jornalismo de Dados, Automação e Data Storytelling. O programa de pós-graduação lato sensu foi elaborado para profissionais de comunicação e de áreas correlatas que desejam se diferenciar em um mercado competitivo e em constante transformação.

O novo programa proporciona total autonomia para o aluno conciliar os estudos com a vida profissional. Ele é composto por duas certificações independentes, com seis meses de duração cada e carga total de 420 horas: a Certificação em Jornalismo de Dados e Automação, que se concentra nas habilidades de estatística e programação, e a Certificação em Data Storytelling, com foco em design da informação, visualização de dados e narrativas multissensoriais. É possível cursá-las em momentos distintos e, juntas, conferem ao aluno um diploma de pós-graduação lato sensu.

“O Master em Jornalismo de Dados, Automação e Data Storytelling é um programa único, que traz o que há de mais novo na aplicação de tecnologia para produção jornalística, desde o uso de novas fontes, como bases de dados massivas, até como apresentar informações em narrativas imersivas ou em novas plataformas, como assistentes de voz. Fizemos uma extensa pesquisa e o currículo foi inspirado em referências internacionais, como os programas de jornalismo de dados da Columbia Journalism School, de Nova York, e de design e visualização de dados da Parsons School of Design, também dos Estados Unidos”, afirma Natália Mazotte, coordenadora do Programa de Jornalismo e Comunicação do Insper.  “Ao final do curso, os participantes terão adquirido competências para serem peças-chave na transformação digital de organizações que atuam com produção de conteúdo,desenvolvendo ferramentas de automação, análises estatísticas e narrativas visuais guiadas por dados.”

Entre os diferenciais do novo master oferecido pelo Insper estão um corpo docente que combina expertise acadêmica com prática de mercado, incluindo professores responsáveis por projetos premiados internacionalmente, e uma metodologia de ensino focada em projetos práticos para os alunos saírem com um portfólio pronto.

“Passamos da fase de ‘evangelizar’ pela importância do uso de dados para produzir e interpretar informações de interesse público. O que vem depois do básico, de saber baixar as bases disponíveis e lidar com planilhas? Ainda temos muitas histórias para contar com rastros digitais que são pouco explorados, como imagens e texto. Podemos usar algoritmos para classificar e extrair padrões de cruzamentos de dados massivos”, diz Natália. “Assim, podemos ganhar mais escala na distribuição de notícias e explorar métodos quantitativos que jornalistas não dominam, mas estampam os melhores papers de ciência política e economia do mundo. Fora isso, grandes empresas também têm tido cada vez mais interesse em profissionais que sejam capazes de usar a enorme quantidade de dados que elas produzem para contar boas histórias,que nos ajudem a entender padrões sociais e o impacto dessas empresas.”

Não há pré-requisitos para se inscrever no programa, que vai contar com uma imersão na primeira semana de aula para passar as bases iniciais do jornalismo de dados e nivelar os conhecimentos necessários para as disciplinas obrigatórias.

As inscrições para o Master em Jornalismo de Dados, Automação e Data Storytelling vão até 14 de julho, e o início das aulas está previsto para 19 de julho. Para saber mais detalhes, acesse aqui.

Selecionamos outros textos para você