Hora de traçar planos para reter assinaturas digitais, sem abandonar outras receitas

WHAT’S NEW IN PUBLISHING – 10/08/2020

Esther Kezia

Para algumas editoras, as assinaturas de revistas foram um ponto brilhante inesperado em meio à pandemia. A Dennis Publishing, por exemplo, relatou que as taxas de assinatura em todos os títulos aumentaram 9% no geral durante a pandemia. Já a Condé Nast  viu o número de  novos assinantes dobrar nos EUA, enquanto os novos pedidos de assinatura de títulos no Reino Unido aumentaram 420% em comparação com o mesmo período do ano passado. Mas é preciso se preparar para o futuro bem próximo. “Focar nas assinaturas é uma boa prática de negócios para muitas editoras, especialmente em termos de estabilizar o fluxo de caixa de uma revista, mas como a maioria das coisas, um tamanho não serve para todos”, aponta Mary Hogarth, especialista em mídia da The Magazine Expert. “Alguns títulos terão mais sucesso do que outros quando se trata de construir uma base de assinaturas saudável, ou seja, revistas especializadas ou de negócios que oferecem valor.”

Leia aqui o texto na íntegra.

Selecionamos outros textos para você