Grupo Globo cria podcast feito exclusivamente por jornalistas negros

METRÓPOLES – 08/07/2020

Leo Dias

O Ubuntu Esporte Clube é um podcast que traz uma visão afrocentrada sobre esporte, cultura, política e demais assuntos.

Representatividade, empoderamento, trabalho e talento. Essas são as palavras que podem resumir o novo lançamento do Grupo Globo: um podcast feito exclusivamente por pessoas pretas. O Ubuntu Esporte Clube é um podcast no qual Rafaelle Seraphim, Diego Moraes, Marcos Luca Valentim, Pedro Moreno e Thales Ramos trazem uma visão afrocentrada sobre esporte, cultura, política e demais assuntos no Globoesporte.com.

Na cultura africana, ubuntu quer dizer “Eu sou porque nós somos”. O nome foi adotado porque os jornalistas que compõem o projeto acreditam que tudo que fazem é em prol da melhoria do mundo e da comunidade. Por causa disso, sentiam que faltavam olhares mais diversos sobre assuntos que gostam, os afetam, os incomodam e os emocionam no cotidiano.

No primeiro episódio, a jornalista Maíra Azevedo, conhecida como Tia Má, explica logo no início o que entende por ubuntu. Marcos Luca Valentim reforça que o podcast não é sobre racismo, apesar que, caso o assunto volte à pauta nacional, ele será debatido. Contudo, a plataforma servirá para debate de variados temas sob o ponto de vista de pessoas pretas.

“É um lugar para nós, jornalistas pretos e pretas, falarmos muito além da pauta racial, porque o sistema como um todo nos enxerga apenas nesse espaço: especialistas em racismo. E não, nós somos especialistas em várias coisas — inclusive em esporte, que é nossa área de atuação direta dentro do Grupo Globo. Se os maiores nomes da história do esporte são pessoas negras — Pelé, Simone Biles, Michael Jordan, Serena Williams, Usain Bolt… —, nada mais justo que nós tenhamos um espaço para expor nossa visão sobre isso também”, afirma Marcos Luca Valentim, um dos líderes do coletivo negro do Grupo Globo.

Selecionamos outros textos para você