Editora negra da Teen Vogue renuncia antes de assumir por postagens racistas contra asiáticos

MEDIA TALKS – 19/03/2021

Aldo De Luca

Na semana em que ataques em Atlanta culminaram com a morte de seis mulheres asiáticas, a pressão contra a nomeação da nova editora-chefe da Teen Vogue chegou a tal ponto que ela foi obrigada a renunciar antes de assumir o cargo.

Alexi McCammond, de 27 anos, apontada em 2019 como a jornalista emergente do ano pela Associação Nacional de Jornalistas Negros, anunciou sua decisão nesta quinta-feira (18/3) devido à polêmica criada em torno das mensagens que ela postara no Twitter contra asiáticos em 2011, quando tinha 17 anos e era caloura na Universidade de Chicago.

Após sua nomeação, os tweets da então adolescente ressurgiram em meio à onda de preconceito e racismo contra asiáticos que varre os Estados Unidos desde o início da pandemia. Só ao longo do ano passado foram relatados 2.500 incidentes contra asiáticos no país, na esteira da retórica do ex-presidente Trump e suas acusações ao “vírus da China”.

A Teen Vogue tem 11,6 milhões de leitores em sua versão digital e é a principal publicação da Condé Nast para adolescentes, que a posiciona como “o guia da jovem para salvar o mundo”, tendo justamente entre seus objetivos “a criação de um ambiente mais inclusivo, amplificando as vozes dos não ouvidos”.

Caso levanta questão do impacto de postagens antigas no desenvolvimento da carreira
No ano passado, McCammond consolidou-se como estrela em ascensão com a cobertura da campanha presidencial de Joe Biden para o site político Axios, além de ter contribuído para a NBC News e a MSNBC.

Em 2019, quando as mensagens vieram à tona pela primeira vez, ela já havia deletado e se desculpado pelos tweets. Na ocasião, escreveu:

“Hoje me lembrei de alguns tweets insensíveis do passado e lamento profundamente quem ofendi. Desde então, apaguei esses tweets, pois eles não refletem minhas opiniões ou quem eu sou hoje.”

O caso levanta uma série de questões, entre elas o impacto na carreira futura causado por postagens da adolescência.

Outro ponto ressaltado é a justiça da punição depois de o autor reconhecer o erro e desculpar-se por ele. Os críticos de McCammond alegam que ao se desculpar ela classificou suas postagens de insensíveis, ofensivas e idiotas, mas sem reconhecê-las como racistas.

Leia aqui o texto na íntegra.

 

Selecionamos outros textos para você