Concurso Melhores Capas do Ano: nove edições de glamour e muitas comemorações

15 de dezembro de 2021

 

Se há um evento da Aner que deixa saudades nas redações é o concurso de Melhores Capas no Ano da Aner. Ocorrido desde 2009 até 2017, a premiação escolheu as melhores capas, levando em consideração a criatividade, a capacidade de atingir em cheio o leitor e de deixar marcas na memória por muito tempo.

O concurso premiava os editores de arte e jornalistas envolvidos na elaboração das capas das revistas publicadas pelas editoras associadas. A média de inscritos por edição era de 150 capas.

“O período de inscrição variava a cada ano. Em 2016, por exemplo, as capas que podiam concorrer tinham que ter sido lançadas entre 31 de agosto de 2015 e 31 de agosto de 2016. Já o concurso de 2017, foi tudo diferente O período de inscrição foi de 4 dezembro de 2017 a 23 de fevereiro de2018, e as capas que concorreram tinham que ter sido lançadas no ano de 2017”, explica a assistente da Diretoria, Raquel Fernandes, que acompanhou todas as edições.

A Comissão Julgadora era formada pelos integrantes da Comissão Editorial, liderada por Thomaz Souto Corrêa. As capas eram separadas por segmento e a comissão se reunia para escolher as 16 capas finalistas. Em seguida, as imagens eram publicadas no site da Aner e o público votava, escolhendo a vencedora.

Concurso acontecia durante o Fórum Aner

Todas as edições do concurso de capas aconteceram durante o Forum Aner, com exceção do concurso que premiou as capas de 2017, realizado, em 2018, no auditório da ESPM, em São Paulo. Neste ano, pela primeira vez, houve um evento exclusivo, o Design Day. A premiação contou com a participação de um dos mais renomados diretores de fotografia do mundo, o então presidente da Society of Publications Designers (SPD), Clinton Cargill.

 

Conheça as capas premiadas em todas as edições do Concurso:

2009

VENCEDORA 2009 – Capa da Revista Época, com referência ao lamentável acidente com o Voo da Air France, em 2009, que caiu no mar e matou 228 pessoas.  

 

2010

VENCEDORA 2010 – Revista Época ganha novo prêmio com uma capa que fala do drama das drogas na juventude.

2011

VENCEDORA 2011 – Com a foto para a matéria “Como a gente vira mãe”, a Revista Crescer ficou em primeiro lugar.

2012

VOTO POPULAR Com 40% dos votos do público, a capa da edição 312 da revista foi a preferida entre as 16 finalistas na categoria popular.

VOTO DO JÚRI A revista Carta na Escola, publicação mensal dirigida a professores da Editora Confiança, foi eleita pelo Júri a melhor de 2012

2013

VOTO DO JURI – A Placar ganhou com capa polêmica que representava a crucificação de Neymar.

VOTO POPULAR – A Mundo Estranho destacou A Disney que ninguém vê

2014

CATEGORIA CAPA DIGITAL – A revista Menu, sobre gastronomia, ficou em primeiro lugar na votação do júri e na escolha popular, na categoria capa digital, com a edição de outubro de 2013 (“Brincando com o Paladar”)

VENCEDORA JURI – A Rolling Stone levou a premiação com o voto dos jurados para a capa que falava sobre as perspectivas no Brasil para a legalização da maconha.

VOTO POPULAR – A Mundo Estranho foi a escolhida, com a capa sobre a indústria de alimentos, contando as verdades e mentiras sobre a junk food

2015

VOTO POPULAR A edição de julho com a funkeira Tati Zaqui levou o prêmio pela escolha do público

ESCOLHA DO JÚRI A Nova Escola falava sobre um tema até hoje espinhoso para muitos pais: transexualidade na infância

VOTO POPULAR DIGITAL Na categoria “Voto Popular Revista Digital” o prêmio foi para a Mundo Estranho e o trabalho que tratou da deep web.

CATEGORIA DIGITAL VOTO DO JÚRI A IstoÉ ficou em primeiro lugar com uma capa que chamava para a matéria sobre o desemprego de jovens no Brasil.

2016

VOTO POPULAR fez a Rolling Stone vencer, em 2016, com Taís Araújo e Lázaro Ramos

VENCEDORA VOTO JÚRI Inspirada em pinturas renascentistas, a foto da capa da Revista Época emocionou o Júri com um alerta tocante do drama humano por trás da epidemia de zika

2017

Em 2017, ao completar 30 anos de atividade no Brasil, a Revista Elle apresentou uma edição dedicada à beleza da arte com cinco capas diferentes, destacando ideias de figuras importantes na construção da cultura do país. Seis personalidades brasileiras foram transformadas em clássicos da arte mundial. O conjunto da obra recebeu o prêmio na escolha do júri.

 

Selecionamos outros textos para você