Como a Fortune está responsabilizando as principais empresas por suas promessas de diversidade e inclusão

DIGIDAY – 02/11/2020

KAYLEIGH BARBER

Após o assassinato de George Floyd em maio, que levou a protestos em massa e um desfile de empresas vocalizando seu apoio ao Black Lives Matter, o CEO da Fortune, Alan Murray, disse que queria criar uma maneira de responsabilizar as empresas pelas metas de diversidade e inclusão que estabeleceram para si próprios nos meses seguintes. Mas para fazer isso, ele disse que a Fortune precisava descobrir uma maneira de superar a barreira primária de não ter uma métrica padronizada de relatar e medir a diversidade e inclusão de dados. Por isso, Murray recorreu ao Refinitiv, uma plataforma de dados do mercado financeiro que tem ajudado as empresas a medir tudo, desde o impacto ambiental ao social, por quase duas décadas.

Leia aqui.

Selecionamos outros textos para você