Comissão de Editores Locais promove troca de conhecimento e parcerias

29 de outubro de 2021

Um dos encontros da Comissão de Editores Locais, com Aline Gobi e Rejane Martins (Aldeia), Regina Bucco (Aner), Joaquim Carqueijó (Edicase) e Denys Grellmann (100fronteiras)

Seguindo a série de apresentações sobre as estruturas criadas pela nova gestão para fomentar a colaboração entre editores associados da Aner, apresentamos a Comissão de Editores Locais. A ideia é manter um ponto de encontro onde os publishers de revistas on-line e impressas possam trocar conhecimento e formar novas parcerias para incrementar os negócios.

Entre os participantes da comissão estão Denys Grellmann, do Grupo 100fronteiras, de Foz do Iguaçu (PR) e Rejane Martins, da Revista Aldeia, de Cascavel (PR). Envolvidos em um projeto conjunto que troca indicações de conteúdo para os públicos das duas cidades, eles contaram um pouco de como a Comissão pode ser vantajosa para os negócios editoriais.

Rejane (sentada) ao lado de sua sócia, Aline Gobi

Quais os principais objetivos da Comissão? Quais os dias de reunião e de quanto em quanto tempo vocês se reúnem?

REJANE: Além de trocar experiências, o objetivo é fomentar projetos conjuntos, dando mais visibilidade às editoras locais. As reuniões acontecem semanalmente, todas as sextas-feiras.

Quais os maiores desafios que os associados estão enfrentando no momento nesta área?

DENYS: O maior desafio atualmente é a transição do offline para o digital e a falta de recursos para esta transição, principalmente para investir em profissionais e tecnologia. A parceria que a Aner está fazendo com o Facebook é uma oportunidade para que os editores locais consigam fazer uma aceleração para o digital.

Quais as propostas da Comissão para resolver estes desafios?

REJANE: Além das iniciativas da Aner, como o Programa Acelerando a Transformação Digital, estamos estudando como investir em novos modelos de negócios, como a possibilidade de realização de eventos conjuntos.

Alguma ação já foi implementada? Qual o efeito prático?

REJANE: Por enquanto não realizamos nenhuma ação específica juntos. Como tudo é muito recente, estamos trocando ideias, compartilhando informações, indicando contatos, desenhando cenários futuros.

Já fecharam alguma parceria interessante para associados neste segmento?

REJANE: Na nossa região, Oeste do Paraná, somos duas revistas na Comissão (nós, da Aldeia e a 100fronteiras), e estamos alinhando projetos futuros (talvez uma publicação conjunta). Também estamos fazendo o trabalho de indicar um ao outro, pois moramos em cidades diferentes, com público consumidor distinto.

De que forma a participação de novos associados pode ser interessante para a comissão e para quem entra no grupo? De que forma o Publisher que entrar pode ser beneficiado pela Comissão de Editores Locais e de que forma ele pode beneficiar o conjunto de editoras?

REJANE: A participação de novos associados só fortalece o meio revista e enriquece a experiência de cada um, desde que sejam associados com a mesma filosofia, foco no desenvolvimento de um trabalho sério e comprometido com o público. Com o meio revista fortalecido, todos ganham em visibilidade, credibilidade e geração de negócios.

É possível listar os benefícios que o 100fronteiras já obteve depois que se afiliou à Aner?

DENYS: Os maiores benefícios são o networking entre publishers e as melhores referências do mercado editorial e de publicidade. Também têm sido muito relevantes os cursos que a Aner tem proporcionado, os cafés, as palestras, isso faz com que nossa equipe fique alinhada, com todos na mesma página. O conteúdo enviado pela Aner nos permite acesso ao que se tem de melhor da comunicação e, com esse conhecimento, a gente sempre consegue fazer adaptações à nossa realidade, causar maior impacto na nossa comunidade e ser mais relevante.

Denys Grellmann, do Grupo 100fronteiras

Entre as propostas debatidas na Comissão de Editores Locais, quais você considera mais importantes? Por quê?

DENYS: Acredito que o fato de termos uma comissão para conversar sobre o jornalismo local é muito relevante porque nos proporciona um espaço para debater os rumos a seguir, parcerias, nos permite conhecer outros editores, outros fornecedores…. Com a união, a gente consegue fortalecer o jornalismo local, a democracia local e, assim, a democracia nacional. Estudos apontam que o jornalismo é extremamente importante para o fortalecimento da democracia. E a Comissão também auxilia nessa discussão.

O que você destacaria como resultado mais importante obtido a partir da Comissão até agora? Por quê?

DENYS: Um dos resultados mais importantes da comissão foi a parceria da Aner com a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) para o curso de jornalismo local sustentável. A Aner é parceira do curso e eu acho que essa foi uma grande vitória da comissão, porque esse curso proporciona uma transformação imensa para todas as redações que dele participam. Também vejo a aproximação com outras editoras coirmãs como a Revista Aldeia. Vejo isso como uma ação muito importante para fortalecer nosso trabalho de mídia local, trocar conhecimento e pensar em parcerias.

 

Quais as dicas que você daria para publishers regionais?

DENYS: Façam parte de uma associação, participem, conheçam outros publishers com outras realidades e outros tamanhos que tragam esses insights para dentro de suas redações. Hoje o conhecimento não tem limite! Ele está em todo lugar. Ao fazer parte de uma associação, você consegue fazer com que esse conhecimento seja mais bem utilizado. O contato também gera transformações pessoais, profissionais e dentro das empresas. E isso fortalece as comunidades, cidadania e dá força para encontrar novos caminhos nestes tempos de desafios.

A Comissão de Editores Locais da Aner é aberta à participação de todos os associados. Para saber mais sobre como participar destes encontros, clique aqui e envie um e-mail.

Selecionamos outros textos para você