Com parceiros, Quatro Rodas cria hub de mobilidade

MEIO&MENSAGEM – 04/09/2019

Igor Ribeiro

Nesta quarta-feira, 4, a Quatro Rodas passou a se tornar um portal, agregando conteúdos de três parceiros: Autos Segredos, Projeto Motor e Duas Rodas. Dessa forma, a marca do Grupo Abril une forças a sites segmentados — especializados em mecânica, automobilismo e motocicletas, respectivamente –, complementando a oferta de informação e análise em volta do tema mobilidade.

“A ideia é ampliar o escopo setorial, expandir a nossa marca para áreas que tradicionalmente a gente não cobre”, afirma Zeca Chaves, redator chefe de Quatro Rodas. Não só um complemento em termos de conteúdo, os sites tentam viabilizar, reunidos, novas formas de monetização, unindo inventário e realizando parcerias em projetos especiais, como branded content e patrocínios a eventos. Segundo Zeca, a o projeto ainda prevê, num futuro próximo, mais parceiros no licenciamento de conteúdo e produtos, além de podcasts junto ao canal de vídeo Acelerados, do Rubinho Barrichello.

“O portal é o primeiro passo de um grande modelo de digitalização da marca Quatro Rodas, que com os novos parceiros reúne 4,7 milhões de Unique Visitors, segundo o Google Analytics”, diz Zeca. Ele informa que todos os parceiros terão conteúdos publicados na home da marca da Abril, redirecionados a partir dali aos próprios sites. Esses links, portanto, não contam no paywall de cinco matérias de Quatro Rodas. Andrea Abelleira, diretora de marketing do Grupo Abril, explica que não haverá alteração alguma de projeto gráfico ou editorial. “Entra uma área dedicada aos parceiros que, por sua vez, ganham uma barra com identificação da Quatro Rodas no alto de seus sites”, explica a executiva.

60 anos
Com o reforço no digital, o impresso não está ameaçado, garante Andrea. “O que temos feito na Abril, em títulos como a Quatro Rodas, é tentar crescer e principalmente garantir a liderança que já temos no impresso, enquanto seguimos crescendo no digital, onde o potencial é enorme. A revista é ainda muito relevante e sofre pouco impacto da queda do impresso”, diz a executiva.

Segundo números deste ano do Instituto Verificador de Comunicação (IVC), na comparação entre janeiro e junho, último dado disponível, a circulação do título caiu 5,9%, de 134 mil para 126 mil exemplares. Ainda assim, Zeca ressalta que não faz sentido abrir mão desse ativo. “São momentos diferentes de consumo de conteúdo por parte de nosso público: no impresso é curadoria, com conteúdos de profundidade e exclusivos. No digital é mais hard news, com foco no oportunismo: foi lançado um modelo de automóvel, o leitor corre lá para se informar sobre isso, ou para ver um test drive”, explica o jornalista.

Apesar de a Duas Rodas também ter um título impresso, publicado pela Fairway Editora, isso não foi impeditivo dentro do termo assinado, que procurou ser simplificado e positivo para ambos os lados, assim como no caso dos outros parceiros. “O contrato é muito simples, não é difícil entrar e também não será complicado sair, se decidirmos terminar. Ninguém fica preso num acordo de longo prazo, porque está claro o entendimento que deve ser bom para todo mundo”, conta Zeca. Segundo ele, cada parceiro tem uma divisão de receitas diferente, mas a ideia é que todos possam aproveitar da rede de publicidade digital e da força de venda da Abril, sem tirar a oportunidade de venderem os próprios projetos.
Segundo Andrea, o novo movimento não é reflexo da transição que a Abril atravessa, pois estava desenhado há um tempo. “É um movimento meio óbvio no mercado e uma feliz coincidência”, afirma a executiva. Além disso, o processo marca o início do projeto de 60 anos da marca Quatro Rodas em 2020, que coincide com os 60 anos do Salão do Automóvel de São Paulo.

Selecionamos outros textos para você