Cadernos de Música é dedicada aos grandes nomes da MPB

CORREIO BRAZILIENSE – 15/04/2020

Com periodicidade mensal, a publicação propõe aprofundar o conhecimento sobre artistas da MPB com longas entrevistas e ensaios assinados por nomes como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Zé Celso Martinez Correa e Torquato Neto. A revista Cadernos de Música é idealizada por um grupo de editores formado por Ana Paula Simonaci, Janaina Marquesini, Leonardo Lichote, Paulo Almeida e Sérgio Cohn. Será dedicada aos grandes nomes da música brasileira e terá periodicidade mensal. A ideia é mergulhar na obra dos compositores brasileiros mais importantes da MPB por meio de um material que inclui muito texto, histórias inusitadas e fotografia, um formato que já fez sucesso no mundo dos livros, como o Cadernos de Literatura, publicado pelo Instituto Moreira Salles.

O projeto faz parte da plataforma Revistas de Cultura, que publica também a Expressa, dedicada aos quadrinhos, e os Cadernos ultramares, reunião de ensaios. “A música popular, no Brasil, se tornou uma das traduções mais fiéis da vida do país, desde suas grandes questões até sua vida cotidiana. Nossa ideia é apresentar um olhar ao mesmo tempo panorâmico e profundo sobre a história dessa música, que é, em última instância a história do Brasil”, explica Leonardo Lichote, um dos editores.

A primeira edição traz Vinicius de Moraes e Letícia Novaes, combinando nomes tradicionais e emergentes. A dobradinha será também uma das características da publicação. “Quando propomos pôr Letícia Novaes e Vinicius de Moraes numa mesma coleção, ou Elza Soares e Kiko Dinucci, estamos aproximando personalidades, movimentos e estéticas que estão, em algum nível, relacionadas, fazem parte de uma mesma teia, se fizeram possíveis por serem fruto do mesmo Brasil”, diz Lichote. Para ele, esse formato ajuda a lançar novas luzes sobre os artistas, já que as entrevistas longas e os ensaios detalhados trazem desde curiosidades saborosas de cada homenageado até conexões que amarram os diferentes momentos de sua obra e a contextualizam em seu tempo.

Para Sérgio Cohn, outro editor, é surpreendente que esse tipo de publicação há muito perdeu espaço. “Certamente, a música é a expressão artística que mais simboliza a cultura brasileira”, repara. “Não só revistas, mas são poucos os livros que podemos encontrar nas estantes das livrarias sobre o tema. Mesmo grandes nomes da nossa música não possuem livros sobre sua obra ou trajetória, ou estão com os livros fora de catálogo. Foi tentando suprir essa demanda que surgiu a ideia de criarmos uma revista sobre artistas consagrados e contemporâneos.”

A Cadernos de Música será vendida exclusivamente por assinatura (R$ 49) e o assinante recebe, a cada mês, duas edições em formato quadrado e capa dura. Um dos volumes será dedicado a um nome já consagrado do cenário musical e o outro, a uma revelação. Assim, além de artistas como Tom Zé, Jorge Mautner, Elza Soares e Hermeto Pascoal, o leitor também vai receber edições dedicadas a apresentar cantores e compositores que estão despontando, como Ana Frango Elétrico e Thiago Amud. “Serão revistas em homenagem aos músicos, cada número trazendo ensaios e amplas entrevistas. Isso permite criar um material que ao mesmo tempo apresenta o homenageado para um novo público e traz informações relevantes e raras para os já iniciados em sua obra”, avisa Sergio Cohn.

O também editor Paulo de Almeida explica que uma das características do Cadernos de Música é atender a um grande número de leitores, tanto o já iniciado no assunto quanto aquele que ainda dá os primeiros passos na história da música popular brasileira. “As entrevistas são sempre inéditas ou raras — a maioria é inédita — e os ensaios passam por uma análise bem profunda da vida e obra do homenageado. Assim, conseguimos mostrar como a riqueza da MPB não se esgota em um determinado ‘período de ouro’, como a produção contemporânea é rica e poderosa. Nossos assinantes terão um trabalho especial e inédito nas mãos”, diz.

Selecionamos outros textos para você