BTG quer Exame como plataforma do capitalismo brasileiro

PROPMARK – 19/02/2020

Felipe Turlão

Publicação terá foco em desenvolvimento profissional, empresarial e econômico.

O BTG Pactual apresentou nesta terça-feira (18) seus planos para a revista Exame, adquirida pelo banco em dezembro de 2019, por cerca de R$ 72 milhões, em meio a um leilão da publicação que pertencia ao Grupo Abril.

Em apresentação no evento CEO Conference Brasil 2020, os principais executivos do BTG falaram sobre o tema e mostraram um vídeo institucional sobre a nova fase da Exame. No material audiovisual, o banco explica que a a revista que esteve presente nas principais mudanças do mundo também vai mudar.

“A nova Exame está pronta para se transformar na principal plataforma de desenvolvimento profissional, empresarial e econômico, celebrando o capitalismo brasileiro, virando uma importante página de sua história”, disse o texto do vídeo. “Revista Exame, o melhor investimento do seu tempo” foi a assinatura.

“Achamos que vocês, empresários e empreendedores, enfrentam muitos obstáculos. Então, temos uma dupla proposta ao comprar a Exame: a primeira é que achamos que quem cria emprego, inova, e colca capital em risco para ajudar país a crescer e desenvolver, merece ser premiado, reconhecido”, afirmou Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual, em discurso.

“E, também, queremos transformar a visão do copo meio cheio. Falar o que está errado é fácil, mas vamos olhar o copo meio cheio. Por mais que o Brasil seja criticado pela política ambiental, temos uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo. Na produção de eletricidade então, nem se fala. Então, empresários brasileiros, quando enfrentam as barreiras e vão ao mundo, e viram multinacionais, todos damos show. Isso merece ser reconhecido”, avaliou.

A nova ideia de Exame, diz Sallouti, tem a ver com “o novo momento do Brasil”. “Achamos que temos a obrigação moral de ajudar o brasileiro a conviver nesse novo mundo. Antigamente, tínhamos um mundo de CDI a 15%, e todo mundo deixava seu dinheiro no fundo de liquidez diária. Agora o juro está civilizado. As pessoas terão que investir seu dinheiro, empreender mais. É ótimo para o país, vai gerar emprego, renda e diminuição da desigualdade. Então, precisávamos de um veículo que ajude o brasileiro a ter educação financeira, qualificação de gestão e empreendedorismo, com boas histórias para se basear. Essa é a nossa ideia, nossa vontade de deixar um legado para o país e que ajude no crescimento”.

Selecionamos outros textos para você