Homem branco, de cavanhaque e cabelos castanhos, fala durante reunião online sobre brand publishing

Brand publishing: “Marcas precisam informar”

25 de maio de 2022

Tela com gráfico colorido mostra investimentos em anúncios e conteúdo em mídia por setor impresso digital

Segundo PH, o digital já é o paradigma dominante, como mostra o gráfico de investimentos em comunicação digital. Foto: reprodução de internet

O Café com Aner da última terça-feira, 24 de maio, recebeu Paulo Henrique Ferreira, especialista em construção de autoridade em empresas de comunicação, fundador e diretor executivo da Barões Digital Publishing. Paulo Henrique conversou e tirou dúvidas sobre as tendências e transformações da mídia, com foco em marcas.

A Barões tem, entre seus clientes, empresas como quinto andar Fundação Dom Cabral, MRV, Safra e Cooxupé, entre outras. O principal foco são marcas que atuam em B2B e B2C e que querem se posicionar como publishers, relacionando-se com a mídia de forma diferente.

“O digital já é o paradigma dominante, é a plataforma dominante. Hoje, o investimento nesta comunicação já é maior do que todos os outros meios juntos”, contou. “É um momento de transição midiática e nós temos ajudado as marcas a compreenderem melhor este mercado e a lidar de uma forma mais madura, com a comunicação”.

Conteúdo relevante para o público

Paulo Henrique sustenta que as marcas precisam fazer mais do que simplesmente pensarem a comunicação como um anúncio em jornais e veículos de comunicação. Elas precisam criar autoridade e informar, mostrando um conteúdo relevante, que dê ao público a certeza de estar consumindo informações de qualidade.

“As marcas precisam ir a campo para informar, para fazer comunicação editorial no nível profissional”, alerta.

Dentro desta mentalidade, as revistas, como marcas, também precisam atentar para a necessidade de evolução de seus produtos. PH destaca, como necessidade para fortalecer a marca, ações essenciais:

“O mínimo é ter uma comunicação digital forte, com uma plataforma preparada, com uma distribuição e uma audiência bem-preparadas.”

gráfico em preto e vermelho mostra necessidade de mão de obra profissional para o brand publishing

Conteúdo precisa ser de qualidade e gerido por mão de obra profissional, que conheça o trabalho.

Oportunidades, no mercado, para quem domina o publishing

“As marcas não podem contratar uma agência e fazer um conteúdo boboca e postar esse conteúdo sabe-se lá onde… e esse conteúdo não ter relevância nenhuma, não ter consequência alguma. A marca tem que pensar no publishing. Tanto nessa face visível do publishing, que é conteúdo, UX, distribuição, quanto a parte invisível: a plataforma, dados, processos, gestão, planejamento editorial maduro e não só o planejamento da comunicação. Ou seja, você tem que entender que brand publishing é muito mais que conteúdo”.

Apresentado por Regina Bucco, diretora executiva da Aner, o bate-papo reúne publishers para uma hora de bate-papo sobre temas importantes para o mercado editorial. O encontro gratuito é aberto a todos, associados e não associados

Para ter acesso a esse e a outros conteúdos exclusivos, associe-se à Aner pelo site www.aner.org.com.br

Perdeu o Café? Clique aqui e assista a íntegra em nosso canal do YouTube.

 

Selecionamos outros textos para você