Apple entra big time no jogo de conteúdo e mídia

PROXXIMA – 29/05/2019

Pyr Marcondes

Há quase dois anos, começamos a registrar aqui um movimento aparentemente não muito esperado e pouco previsível para todos, da Apple na cena de conteúdo e mídia.

Se tiver curiosidade, leia artigo que escrevi sobre isso aqui.

Essa cena tem como grandes players, além dos clássicos grupos de comunicação e publishing de centenas de anos, agora também as grandes plataformas tech globais, como Google, Facebook e Twitter, mais recentemente também a Amazon concorrendo com Netflix no OTT, algumas telcos comprando grandes empresas de conteúdo, como foi o caso da AT&T adquirindo a Warner, e, agora, quer dizer, há uns dois anos, como comentei, também a Apple (em OTT e novos terrenos, como você verá).

Artigo do New Your Times que linko abaixo, dá conta de que publishers (inclusive eles mesmos, quem sabe) estão vendo com bons olhos a chegada de um novo player nessa cadeia, porque para eles a dependência das grandes plataformas já existentes é, ao mesmo tempo, inevitável, embora não tão desejável, em tese, assim. Uma Apple na parada pode ser uma alternativa de valor. A ver.

E qual é o play da Apple? Seus bilhões de aparelhos celulares conectados, always on e no bolso ou bolsa de bilhões de consumidores em todo o Planeta. Ora, estamos falando de plataformas de distribuição de serviços e, porque não, conteúdos, certo?. Em minha opinião, houve até demora dos fabricantes de celular deixarem de se entender como, rã, fabricantes de celular, para passarem a se entender como plataformas de ativação e distribuição do que quer que seja, online.

A Apple vem investindo na produção de conteúdos proprietários no game OTT e agora começa a acenar para publishers de notícias com sua plataforma monstruosa de presença mundo afora.

Essa plataforma se chama Apple News App e players como Condé Nast, Dow Jones e Meredith Corp (Time, Fortune e dezenas de títulos de revistas) estão aderindo ao play da Apple.

Em breve, acredito, outros grandes fabricantes de celular como Samsung e LG deverão entrar nessa brincadeira.

Leia artigo do New York Times aqui e entenda como esse cenário está mudando rápida e profundamente. Sem se esquecer, como tenho dito enfaticamente, que conteúdo é rei como nunca.

Diretor-geral da M&M Consulting

 

Selecionamos outros textos para você