Após denúncia de assédio, presidente da Hearst Magazines deixa o cargo

ISTOÉ – 24/07/2020

Troy Young não é mais presidente da Hearst Magazines. Ele renunciou ao cargo nesta quinta-feira (23), após uma série de acusações sobre seu comportamento na corporação, evidenciados por uma reportagem do jornal The New York Times que o retratou como sexista, obsceno e indicou casos de assédio envolvendo funcionários.

A empresa edita títulos conhecidos no mercado mundial, como a Cosmopolitan, Marie Claire, Men’s Health, Women’s Health, Harper’s Bazaar, Elle, Esquire, entre outros.

Young entrou no grupo em 2013, como presidente da área digital e acabou promovido em 2018. Já nessa época pesavam contra ele acusações de quatro funcionários que o acusavam de assédio ou bullying.

Segundo a reportagem do NYT, Young teria usado o e-mail corporativo para enviar pornografia a um editor sênior e fez comentários indecentes envolvendo brinquedos sexuais durante visita à redação da Cosmopolitan.

Publicamente, ele disse que as alegações eram falsas, exageradas e retiradas de seus contextos, mas após a repercussão do caso com a publicação da matérias, reconheceu em um e-mail interno que suas ações eram ofensivas às mulheres e que esses atos não o representavam.

Selecionamos outros textos para você