Aner anuncia parceria para proteger associados de pirataria

O quinto episódio do Ciclo de Webinars “O Futuro já Passou?” reuniu o advogado André Marsiglia Santos, sócio da Lourival J. Santos Advogados; o CFO do Grupo Planeta Brasil, André Lopes; e a diretora editorial de Femininas e Interesses Especiais da Editora Globo, Daniela Tófoli  para discutir o tema “Pirataria de Conteúdo e boas práticas”. O encontro também serviu para anunciar a parceria que a Aner firmou com o escritório de advocacia para que os editores tenham seu conteúdo monitorado com relação à pirataria e recebam essa informação sempre que estiver acontecendo o crime, para que tomem as medidas cabíveis.

“O intuito dos nossos webinars é trazer capacitação para os editores e informações sobre novas formas de monetização. Aproveitamos o tema de hoje para anunciar que a Aner está fechando mais uma parceria importante para atendimento aos associados, com o escritório Lourival J. Santos Advogados. para monitoramento do conteúdo e atuar no caso de pirataria destes conteúdos”, anunciou o presidente da Aner, Rafael Soriano.

O advogado André Marsiglia Santos destacou o caráter inovador da parceria.

“O Escritório Lourival J. Santos tem uma expertise de décadas no combate à pirataria e no trabalho com direitos autorais tem um enorme prazer em firmar essa parceria inovadora com a Aner. Temos certeza que será uma parceria longa que servirá não só aos associados mas, de forma educativa, a todo o mercado editorial, parceiros e consumidores”, afirmou o advogado.

Durante o encontro, os convidados falaram sobre os tipos de pirataria e o que pode ou não ser considerado uma infração. André Marsiglia, que é especializado em liberdade de expressão e de imprensa e membro da 4a. Câmara de Julgamento do Conselho de Ética do Conar, destacou a importância de observar-se a rentabilidade da pirataria online, mesmo em sites de conteúdo gratuito. Veja alguns dos melhores momentos:

André Marsiglia: “Alguém pode estar recebendo publicidade por você”

“Hoje não estamos mais no momento de a internet ser o ambiente livre. Todo mundo está rentabilizando, de alguma forma, o conteúdo. Então é necessário que, se o seu conteúdo está sendo explorado, você ao menos saiba, monitore, entenda. Saber se o seu conteúdo está sendo utilizado, parasitado por alguém é uma medida primeira, mas é essencial para a questão comercial, publicitária, porque você pode ter a sua audiência migrada, alguém pode estar recebendo publicidade por você ou, no mínimo, você pode estar estimulando a continuação da pirataria”

André Lopes: “Não faz sentido produzir coisas novas se a conta não fecha”

“Pirataria não é só CD, DVD, baixar PDF de livro… também é plágio. Utilizar a informação que não foi produzida por você e não dar o crédito, não citar os autores originais. eu acho que isso afeta bastante os jornais e revistas. No começo deste ano, a Austrália aprovou uma lei que obriga o Google e o Facebook a remunerarem as agências de notícias, porque é uma prática destes grandes conglomerados de mídias sociais  citarem a notícia e não darem o crédito, como se essa notícia existisse “per se”… (…) não faz sentido produzir coisas novas se a conta não fecha”.

Daniela Tófoli: educar equipes, leitor e mercado anunciante

“Eu brinco que conteúdo não brota em árvore. O bom conteúdo tem o custo  e o tempo de produção, o tempo de produção e não é estalar os dedos e a matéria estar pronta, a reportagem, a foto, a capa, o podcast, o vídeo… tudo isso tem um trabalho grande envolvido. E quando alguém copia e cola um texto sem dar o link acaba roubando a audiência daquele conteúdo. Quando dá uma foto sem crédito, sem autorização, se apropria do trabalho alheio. Na editora, as minhas marcas são alvo frequente de roubo de conteúdo por sites, blogs, inclusive por concorrentes que copiam o conteúdo sem dar crédito e acabam ganhando uma audiência com trabalho que não é autoral. (…) Para comabter essa prática acredito que a gente tenha que atuar em muitas frentes, mas em três principais: treinar nossas equipes para que isso não aconteça, promover a educação do leitor e treinar o mercado anunciante. Muitas vezes a gente tem que abrir os olhos do patrocinador para que ele analise com qual produto ele está se associando.”

O Ciclo de Webinars faz parte do empenho da Associação para aumentar a troca colaborativa entre os editores, trazendo como tema questões importantes para o universo dos publishers. Desde o início do Ciclo, no dia 7 de julho, profissionais do mercado vêm compartilhando suas experiências e apresentando aos editores modelos de negócios que podem ser implementados em várias praças. Veja a programação dos próximos webinars e saiba como participar aqui.

Selecionamos outros textos para você