O Propmark, publicou uma matéria sobre fake news com a participação do presidente da ANER Fábio Petrossi Gallo.

Veja aqui o trecho da entrevista e a matéria na íntegra:

“Na avaliação de Fabio Gallo, presidente da Aner (Associação Nacional dos Editores de Revistas) e diretor de operações do Grupo Abril, o maior risco é a manipulação da opinião pública. “As fake news são um risco para o indivíduo, para grupos, governos e empresas. Não por acaso algumas grandes corporações já estão revisando suas políticas de investimento publicitário, pressionando as redes sociais a tomarem medidas contra a disseminação de notícias falsas e a divulgação de conteúdo impróprio ou que incentive o ódio. Não há forma mais adequada de se proteger desse tipo de ameaça do que se informar por meio de quem construiu credibilidade ao longo do tempo. Pode ser uma pessoa. E, claro, os veículos de informação, mais uma vez, desempenham um papel fundamental. No geral, eles estão do lado certo dessa batalha. Os anunciantes estão compreendendo a dimensão social do problema. É isso que faz com que, por exemplo, a Unilever, segundo maior anunciante do mundo, afirme que pode rever sua política de investimento publicitário, caso os veículos digitais não mostrem determinação em combater a disseminação de notícias falsas ou de conteúdos de ódio (N. do R.: leia mais sobre o assunto na página 35). Na frente do jornalismo, a responsabilidade dos veículos cresce. A apuração dos fatos, a reportagem e os mecanismos de checagem da informação nunca foram tão importantes”.

Na íntegra (PROPMARK, 19/2/2018):
Onda de fake news compromete reputação das marcas

Selecionamos outros textos para você