Facebook deveria pagar por notícias, afirma Rupert Murdoch, da Fox

Após Facebook assumir que redes sociais podem prejudicar a democracia, dono da ‘Fox News’ diz que empresa deveria remunerar conteúdo confiável

No mesmo dia em que o Facebook divulgou um comunicado afirmando que as redes sociais podem apresentar um risco à democracia ao divulgar notícias falsas, o magnata da comunicação Rupert Murdoch, proprietário da Newscorp, empresa que controla gigantes como a rede de televisão americana Fox News, afirmou que está na hora de a rede social ir mais longe. Em comunicado divulgado ontem, Murdoch ressaltou que a empresa criada por Mark Zuckerberg deveria pagar pelo conteúdo de instituições jornalísticas veiculado em sua plataforma.

Ao longo das últimas semanas, o Facebook fez vários pronunciamentos relativos ao seu comprometimento em evitar a proliferação de notícias falsas em sua plataforma, prometendo remediar a situação. Em comunicado divulgado ontem pela Newscorp, Murdoch afirmou que “o Facebook e o Google popularizaram fontes de notícias pouco confiáveis por meio de algoritmos que são lucrativos para as duas companhias, mas que se provaram claramente pouco confiáveis”, disse o empresário.

Para Murdoch, embora seja positivo o reconhecimento em relação a essas falhas, apenas esse passo não é suficiente para garantir uma solução para a questão. “As soluções paliativas que as duas empresas apresentaram até agora são inadequadas do ponto de vista comercial, social e jornalístico.”

De acordo com o empresário, chegou a hora de se considerar uma nova linha de ação. “Se o Facebook quer reconhecer o valor das fontes de informação confiáveis, a empresa deveria pagar a esses negócios uma taxa pela veiculação de conteúdos, a exemplo do que fazem hoje as empresas de TV a cabo. Os publishers estão claramente gerando valor e ampliando a integridade do Facebook com seu conteúdo sem serem recompensados de forma adequada por seu serviço.”

Murdoch disse ainda que o pagamento de uma taxa não traria grande impacto para o Facebook, mas poderiam ser de suma importância para as empresas jornalísticas.

O empresário também questionou as medidas que vêm sendo prometidas por Mark Zuckerberg e cobrou mais transparência nos processos da rede social. “Vamos acompanhar de perto a última mudança na estratégia do Facebook, e eu não tenho dúvidas de Mark Zuckerberg é uma pessoa sincera, mas ainda há uma séria falta de transparência que deve ser uma fonte de preocupação para publishers e todos os que se preocupam com a veiculação de conteúdos enviesados nessas plataformas.”

Combate. Ao longo de janeiro, Zuckerberg já divulgou algumas ações para reduzir a quantidade de notícias falsas publicadas na plataforma. A primeira ação revelada pela empresa foi a alteração no algoritmo do Facebook que diminuirá o número de publicações de notícias na linha do tempo dos usuários, privilegiando a interações entre amigos.

Na semana passada, o Facebook disse que pedirá que usuários votem nos veículos de comunicação nos quais mais confiam. O resultado será usado pelo algoritmo na hora de escolher quais notícias serão exibidas na linha do tempo dos usuários – a rede social, porém, não especificou uma remuneração por esse serviço.

Fonte: link.estadao.com.br

Selecionamos outros textos para você