Edição pós-atentado do Charlie Hebdo é lançada no Brasil

capa-chebdo-novositeA primeira edição da revista francesa Charlie Hebdo após o atentado que vitimou 12 funcionários em sua redação em Paris (França), no último dia 7 de janeiro, foi lançada no Brasil na quarta-feira, dia 28*. O lançamento estava previsto para a segunda-feira, 26, mas um atraso no voo adiou a chegada da revista em dois dias.

A iniciativa é da Dinap, distribuidora nacional de produtos pertencente à holding DGB (Grupo Abril), e estará à venda por R$ 29,90 nas livrarias Saraiva e Cultura, além das principais bancas de São Paulo, Rio de Janeiro e outras 15 capitais. O conteúdo do semanário não será traduzido para o português.

Publicada em 14 de janeiro na França, a edição histórica trouxe como capa uma caricatura de Maomé segurando uma placa que diz “Eu sou Charlie” e o título “Tudo está perdoado”. A edição tinha tiragem prevista de um 1 milhão de exemplares, mas a procura antes mesmo do lançamento elevou a impressão para 5 milhões. Depois do lançamento, a revista ampliou ainda mais a tiragem, alcançando os 7 milhões de exemplares, superando em 100 vezes a tiragem normal da revista. No Brasil, a Dinap pretende distribuir 10 mil exemplares em francês.

Bruno Tortorello, diretor geral da Dinap, explica que as negociações para trazer o jornal para o Brasil tiveram início há uma semana, quando houve intensa procura nos pontos de venda de todo o país. “Os brasileiros estão cada vez mais engajados e, com a chegada da edição histórica do Charlie Hebdo, eles terão acesso a esta grande mobilização mundial pela liberdade de expressão”, afirmou. Além do Brasil, a edição especial da Charlie Hebdo também estará à venda em outros 30 países, com tiragem internacional total de 130 mil exemplares.

*A informação da nova data de chegada da Charlie Hebdo ao Brasil foi incluída nesta nota no dia 26 de janeiro, segunda-feira, às 11h16.

Selecionamos outros textos para você