COMUNICADO: ANER lamenta morte de repórter cinematográfico

A morte do repórter cinematográfico Santiago Ilídio Andrade durante o exercício de sua função representa um duro golpe no direito à livre expressão e informação, pilares fundamentais para uma democracia saudável.

Somente um jornalismo livre, que busque a isenção, a precisão dos fatos e informação ampla e plural, ajudará a transformar uma sociedade. É o livre acesso à informação que fortalece a democracia. E é a democracia que temos que defender.

Manifestar-se, desde que livre e pacificamente, é direito de todos. Porém, grupos minoritários têm utilizado a violência como forma de protesto, colocando em risco a integridade de cidadãos, sejam eles profissionais de imprensa ou não. Foi Santiago, mas poderia ter sido qualquer um.

A ANER, em conjunto com ANJ e Abert, cobrará das autoridades responsáveis a adoção de estratégias eficazes para garantir a segurança de todos durante as próximas manifestações, assim como a identificação e punição rigorosa dos envolvidos na morte do jornalista.

São Paulo, 11 de fevereiro de 2014

Frederic Kachar
Presidente da ANER

Selecionamos outros textos para você