Campanha mundial em favor da comunicação impressa é lançada no Brasil

Depois dos principais países europeus e dos Estados Unidos, foi a vez do Brasil aderir a campanha Two Sides, que visa difundir a sustentabilidade da comunicação impressa. A coletiva de imprensa do lançamento aconteceu no último dia 7 de abril, em São Paulo-SP, e contou com a presença do diretor da campanha no Reino Unido, Martyn Eustace, além do vice-presidente da ANER, Fernando Costa; do presidente nacional da Abigraf e do Sindigraf-SP, Fabio Arruda Mortara; e do membro do Conselho de Administração da ANJ e diretor de Mercado Leitor e Operações do jornal O Estado de São Paulo, Christiano Nygaard.

No mesmo dia, 42 entidades representativas das atividades da cadeia assinaram o protocolo de intenções. Somadas, estas reúnem cerca de 80 mil empresas, geram de 615 mil empregos diretos e registram faturamento na casa dos US$ 40 bilhões. ANER, ANJ (Associação Nacional de Jornais) e Abro (Associação Brasileira de Empresas com Rotativas Offset) são algumas das apoiadoras de primeira hora da iniciativa.“A adesão a esse movimento nos insere na mais bem-sucedida iniciativa mundial de difusão da sustentabilidade da comunicação impressa. Vamos trabalhar com determinação para mostrar que somos uma atividade essencial à vida das pessoas e ao bom funcionamento da sociedade”, afirmou Mortara.

Já Eustace considerou estratégica a entrada do Brasil no protocolo. “É uma ótima notícia. Só em 2013 a produção brasileira de celulose alcançou cerca de 15 milhões de toneladas, e a de papel, 10,4 milhões de toneladas. Além de ser uma das economias mundiais que mais crescem, é um país que cria a todo o momento projetos novos e ambiciosos para o setor da comunicação impressa”, destacou.

No Brasil, a Two Sides prevê ações variadas. A primeira delas é a publicação e divulgação do livro “Comunicação Impressa e Papel – Mitos e Fatos”, conteúdo de embasamento científico que prova a sustentabilidade da cadeia. Na sequência, em maio, a campanha deverá lançar seu site oficial em português, além de anúncios variados para diferentes públicos. Outra frente de ação será o combate pontual de mensagens e iniciativas, públicas e privadas, que erroneamente associem a impressão à falta de sustentabilidade.

“Precisamos mostrar de forma mais clara para as pessoas a idéia de que o eletrônico não chegou para canibalizar o impresso. Ele é uma maneira complementar de as pessoas se informarem”, explicou Fernando Costa, primeiro vice-presidente da ANER e diretor de Assinaturas da Editora Abril. Tal opinião também é compartilhada por Mortara. “A difusão do conhecimento e da informação se favorece da pluralidade. Quanto mais culta e educada uma população, tanto maior o acesso e o consumo que ela faz de internet, jornais, revistas e livros, sem que uns excluam os outros”.

A Pesquisa Brasileira de Mídia 2014, divulgada em fevereiro pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), comprova o que foi dito por Fábio Mortara: o consumo de jornais, revistas e internet – os três! – aumenta conforme o nível de renda e de escolaridade do brasileiro. “A Two Sides reforça a percepção de que a mídia impressa é e continuará sendo atraente, prática e sustentável, além de imbativelmente confiável”, finalizou.

MAIS: Two Sides Launchs in Brazil (em Inglês)

fercosta-twosides

Fernando Costa (à esq, ANER) observa Martyn Eustace (à dir, Two Sides-UK)

Selecionamos outros textos para você