#07: Fórum ANER define palestrantes

[C]om o slogan “O melhor dos tempos, o pior dos tempos. Você faz a diferença”, o V Fórum ANER de Revistas mostra que o mercado de revistas segue aquecido e que existem boas perspectivas para o futuro, especialmente com relação ao uso de novas tecnologias e plataformas.

Foram preparadas oito grandes mesas para discutir os principais assuntos do meio, com especialistas do Brasil e do exterior. A primeira do dia pretende mostrar os motivos para se anunciar em revistas, meio que atinge todos os segmentos e não tem rejeição do leitor com relação à publicidade. Para este debate, já estão confirmados dois grandes nomes da publicidade brasileira: Luiz Lara (presidente da ABAP) e Salles Neto (presidente do Grupo Meio&Mensagem).

Na segunda mesa do V Fórum ANER, o assunto é o aumento do investimento em mídia impressa. Para discutir o tema, estão confirmados Daniela Falcão da Revista Vogue (Globo/Condé Nast), título internacional consagrado no país, e Nirlando Beirão da Status (Editora Três), sucesso editorial do passado relançado recentemente. As duas revistas têm tradição de publicar grandes edições de páginas de publicidade. A apresentação do debate ficará a cargo de Gilles Borges (Editora Viva Beleza).

Ainda pela manhã, será discutido o potencial de novas plataformas, linguagens e modelos de negócio. Estarão presentes Youssef Mourad, CEO da Digital Pages; Sérgio Gwercman, diretor de redação da Superinteressante (Editora Abril); e Marcelo Bartolomei, da TV Caras (Editora Caras). Todos eles irão mostrar o que têm feito para integrar tecnologia a formas de prender o leitor para manter o rendimento com vendas e assinaturas. A apresentação será de Silvio Genesini (O Estado de S. Paulo).

A pausa do almoço será valorizada pela cerimônia de premiação do Concurso Melhor Capa do Ano 2011 (veja reportagem abaixo). Em seguida, mais uma mesa voltada para o uso de tecnologia na produção de conteúdo para revistas. Desta vez, o assunto é a infografia como forma de contar uma história e engajar leitores. Nesta roda, discutirão Alberto Cairo (Editora Globo) e Luiz Iria (Editora Abril), dois dos principais nomes da infografia de revista do Brasil. O apresentador será Caco Alzugaray (Editora Três).

Em seguida, os tablets surgem como tema principal da discussão que envolverá os responsáveis por algumas das ações mais inovadoras neste segmento no Brasil: Leonardo Attuch do Brasil 247, primeiro jornal diário do país desenvolvido para iPad e demais plataformas digitais; Angelo Rossi da MyMag, a primeira revista customizável pelo próprio leitor; e Antonio Lapa da Woodwing Brasil, que desenvolve tecnologia para a publicação digital de revistas. Na apresentação, Aydano Roriz (Editora Europa).

Logo após os tablets, o assunto será a distribuição digital de conteúdo. Fernando Cirne (Editora Abril) e o espanhol Joan Solá (Zinio) discutirão as formas de comercializar revistas digitais nas novas plataformas. Na sequência, outra atração internacional conta suas experiências: o canadense Tyler Brûlé demonstra o funcionamento da Monocle, um dos destaques recentes do mercado editorial, que combina conteúdo original com um modelo de cobertura global, além de comercialização de produtos. Na mesa, estarão ainda o presidente da ANER, Roberto Muylaert, e Fred Kachar (Editora Globo).

O V Fórum ANER fecha sua programação com um debate sobre a evolução das editoras de revistas, com Jairo Leal, presidente-executivo da Abril Mídia. Nesta mesa, o assunto será a transformação das empresas de mídia em multiplataformas com diversas fontes de receitas e quais os caminhos para que elas alcancem o sucesso. Em seguida, o vice-presidente da ANER, Fernando Costa, encerrará oficialmente o V Fórum. Mais informações no site oficial do evento: http://www.forumaner.com.br.

Palavra do presidente: De revisteiros para revisteiros

Roberto Muylaert - Foto: Toni Pires/Spring

[A] ANER está em preparativos adiantados para a realização de seu V Forum ANER de Revistas, no hotel Grand Hyatt, em São Paulo, no dia 12 de setembro próximo. Neste ano as atrações são muitas, no momento em que os editores de todo o mundo buscam identificar oportunidades para adaptar-se ao desenvolvimento  dos meios digitais, enquanto cuidam da ampliação e fortalecimento de seus produtos impressos, que seguem crescendo no Brasil,  hoje com mais de 4.500 títulos de revistas.

Teremos, como sempre, a participação de nomes expressivos do cenário nacional, e a presença de personalidades de destaque do exterior, confrontando  características inovadoras do nosso mercado, com o que existe de mais moderno  nas experiências editoriais do mundo globalizado.

Neste boletim você encontra o programa  do Forum ANER, e nós temos certeza de que o conjunto dos temas a serem abordados em um dia serão atrativos para você. Por falar nisso, “inscreva-se já”, no caso, não é força de expressão, já que existe uma possibilidade bem grande de que os 400 lugares do auditório não sejam suficientes para acomodar todos os interessados neste evento, a saber, todo mundo que mexe com comunicação.

Procuramos colocar neste boletim todos os assuntos de forma seqüencial, para que você não deixe de ler nenhum dos temas selecionados, de revisteiros para revisteiros. Mas não é só disso que fala o boletim, você vai saber também da atuação da sua entidade nos temas técnicos e políticos que dizem respeito à nossa atividade e que são importantes para a  defesa dos interesses individuais  e conjuntos dos editores.

E não se esqueça do Concurso de Capas, cujas inscrições se encerram em 4 de agosto.

Um abraço e até breve
Roberto Muylaert
Presidente ANER

Por revitalização, prefeitura retira bancas de revistas do centro de Londrina

Banca Tito antes de ser retirada do centro de Londrina

[T]ito está triste. Depois de 37 anos vendendo jornais e revistas no centro de Londrina (PR), o dono de uma das bancas de revistas mais tradicionais da cidade foi obrigado pela Prefeitura Municipal a deixar o ponto da Concha Acústica em agosto do ano passado para permitir o avanço do projeto de revitalização da região central, obra autorizada pelo prefeito Homero Barbosa Neto (PDT).

Apesar do desgosto pela medida imposta pelo prefeito, Tito preferiu sair antes que os agentes da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) arrombassem e desmontassem seu quiosque, como já haviam feito com outros colegas. Para evitar constrangimento e ter uma forma de sobreviver, arranjou uma sala da galeria do Centro Comercial da rua Piauí, bem próximo ao antigo ponto.

Apesar do drama, Tito pode-se considerar um privilegiado, já que foi uma das cinco bancas de revistas que conseguiu se transformar em revistarias para continuar existindo. Das 16 retiradas de seu ponto de origem, oito foram fechadas e três se mudaram para áreas particulares.

O projeto de revitalização do Centro inclui a reforma do calçadão e a demolição dos 38 quiosques da região (além de bancas, foram retiradas também barracas de lanches, cafés, sorvetes e floriculturas) e a reconstrução de alguns de forma padronizada. Depois da troca de pisos e reformas, o plano seria explorar os novos quiosques mediante licitação, mas o prefeito Barbosa Neto voltou atrás e afirmou à imprensa local que isto não seria mais feito.

O projeto de retirada dos quiosques havia sido apresentado em abril de 2010, época em que os jornaleiros foram informados da real situação e tentaram negociar a exclusão das bancas de jornais deste processo de “limpeza” da região. No entanto, as reuniões não surtiram efeitos e a Prefeitura autorizou a retirada do primeiro quiosque neste mesmo mês, gerando revolta e manifestações dos trabalhadores da região.

Só que nem isso sensibilizou a administração municipal, que retirou a primeira banca de jornal do centro de Londrina logo no mês seguinte. A partir daí, os locais de vendas de jornais e revistas foram desmontados um a um, até chegar na banca de Tito, que à época da desapropriação desabafou sobre a situação vivida pela classe. “Uma cliente chegou aqui dizendo que já havia percorrido vários quarteirões em busca de uma banca para comprar uma revista. Acho isso uma vergonha para Londrina”, desabafou o jornaleiro a Agência Londrix.

Bancas de revistas que foram retiradas do centro de Londrina; todas permanecem fechadas

Workshop sobre NF-e reúne 55 pessoas em SP

Recém-reformado, auditório da ANER registrou lotação máxima

[M]esmo em uma segunda-feira fria do inverno paulistano, mais de 50 pessoas se deslocaram até a sede da ANER no bairro de Pinheiros, em São Paulo, para acompanhar o workshop da gerente tributária da Editora Abril, Sheila Lanza, que contou sua experiência e esclareceu dúvidas sobre as novas regras de uso da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), que, a partir de outubro, deverá ser adotada por todas as editoras de revistas do país.

A partir dessa data, as Notas Fiscais modelo 1 e 1A serão substituídas pelo modelo 55 – DANFE (“Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica”, usado para acompanhar o trânsito da mercadoria). Vale lembrar que a não emissão da NF-e pode implicar em autuação fiscal, com riscos que vão desde a aplicação de multa de 50% do valor da operação até a cassação da inscrição estadual do contribuinte.

A gerente tributária da Editora Abril apontou quais têm sido as principais dificuldades para a adaptação das empresas às novas regras. “A maior delas neste caso é que o setor nunca emitiu Nota Fiscal, já que usava regime especial. Assim, a partir do momento em que você coloca a Nota Fiscal num segmento que tinha como premissa não emiti-la, gera polêmica e dúvida”, avaliou Sheila, que diz ter visto evolução nessa transição.

“Desde a última reunião, senti que melhoramos bastante. Ainda faltam três meses (o Protocolo ICMS 7/11 havia conseguido a prorrogação do prazo para adoção da NF-e, passando para o dia 01/10/2011, mas o CONFAZ, em decisão recente, adiou a data para 1/1/2012) e muitos ainda não têm todas as respostas, mas é possível perceber que o pessoal está mais maduro, mais por dentro do assunto do que estava há seis meses”, concluiu. Para quem não pode comparecer ao evento, o conteúdo da palestra de Sheila Lanza pode ser acessado na íntegra clicando aqui.

Fique atento! Seis coisas que você precisa saber sobre a NF-e:

Sheila Lanza e Fernando Costa explicaram os novos procedimentos com a NF-e

  1. De acordo com o Convênio ICMS 24/11, nos casos de assinaturas, o editor terá que emitir uma NF-e de venda para entrega futura ao leitor e outra de remessa para distribuição consolidada para o distribuidor/Correios. O distribuidor, por sua vez, emite apenas uma NF-e mensal englobando todas as entregas realizadas.
  2. No caso de vendas avulsas, pouco muda com relação ao que vinha sendo feito. O editor precisa enviar a NF-e de remessa de consignação ao distribuidor, que lhe repassa a NF-e de devolução simbólica (vendidas) e a de devolução de consignação (encalhe físico) para então receber a NF-e de venda em consignação.
  3. Já na relação distribuidor-PDVs para venda avulsa, o primeiro deverá emitir a NF-e de remessa em consignação (dispensada a impressão do DANFE), enquanto o segundo terá que enviar a NF-e de devolução de encalhe. Caso o PDV não emita essa nota, o distribuidor deverá emitir a NF-e de entrada.
  4. Outro ponto importante é o planejamento para a implantação dessa nova regra. Sheila defende a contratação de uma empresa especializada em mapear os processos (preferencialmente a fornecedora da solução), a construção de um painel de controle e o envolvimento de todos da empresa.
  5. Uma dica preciosa é não deixar nada para a última hora. O projeto é grande e perder tempo pode ser fatal. Sheila aponta a preocupação com o perfeccionismo como um dos possíveis motivos de perda de foco de quem está implantando, uma vez que há fatores que não são controláveis.
  6. Por fim, vale dizer que, com a nova regra de emissão de NF-e, os gastos da editora irão aumentar. O software disponibilizado gratuitamente pelo Fisco é bom apenas para pequenos volumes. Portanto, se esse não for o seu caso, vale a pena investir em tecnologia.

URGENTE, direto de Brasília: O Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ) adiou o início da vigência obrigatória da NF-e para o dia 1/1/2012, somente para as empresas que tenham como atividade econômica principal alguns CNAEs (veja lista abaixo). Os editores de revistas continuam coma obrigatoriedade de utilização de NF-e a partir de 1º de outubro de 2011, conforme previsto no Protocolo ICMS de 7/2011.

I –  5812-3/00 Edição de Jornais;

II – 5822-1/00 Edição integrada à Impressão de jornais;

I – 1811-3/01 Impressão de jornais;

II – 4618-4/03 Representantes comerciais e agentes do comercio de jornais, revistas e outras publicações;

III – 4647-8/02 Comércio atacadista de livros, jornais e outras publicações;

IV – 4618-4/99 Outros representantes comerciais e agentes do comercio de jornais, revistas e outras publicações

Revistas corporativas invadem o iPad

[A] adaptação de revistas para tablets não parece ser exclusividade de grandes editoras. Até mesmo algumas publicações customizadas, ainda que encomendadas por grandes corporações, já podem ser lidas no iPad, como é o caso da Odebrecht Informa e da Petrobras Magazine, as mais recentes a terem sua versão para o tablet da Apple.

Revista da Odebrecht é uma das mais antigas do país

No caso da Odebrecht Informa, um dos títulos corporativos mais antigos do país (foi criado em 1973), será possível acessar todo o conteúdo da edição impressa, além de vídeos, maior quantidade de fotos, animações, infográficos especiais e outros recursos propiciados pelo dispositivo. A publicação impressa, que está na 154ª edição, é editada em português, espanhol e inglês e circula bimestralmente em 20 países, com tiragem de mais de 14 mil exemplares.

Já a Petrobras Magazine oferecerá todo o conteúdo da revista impressa, além de vídeos, infográficos animados, arquivos de áudio e muita interatividade aos leitores. A presença da Petrobras no tablet, aliás, faz parte de uma estratégia de comunicação integrada da revista, que foi relançada em abril deste ano, com novo projeto editorial e gráfico. Atualmente a publicação é destinada ao público externo e circula trimestralmente em mais de 100 países, com tiragem de 5 mil exemplares.

Petrobras Magazine também chegou recentemente ao iPad

No começo deste ano, tanto Natura (janeiro) quanto Nestlé (março) já haviam anunciado a chegada de seu conteúdo exclusivo aos dispositivos da Apple. A versão digital da Revista Natura, por exemplo, é voltada para as consultoras da marca e permite mexer nos produtos em até 360º para ver toda a embalagem em 3D, além de poder trocar a cor dos produtos exibidos na página de maquiagem, montar looks com diferentes tons e ter acesso a dicas de profissionais da área. A única diferença para as outras é que a revista não é acessada online, mas disponibilizada para download, permanecendo no desktop do aparelho e permitindo que o usuário tenha acesso a conteúdo mesmo sem estar conectado à internet.

A revista Nestlé com Você oferece todo o conteúdo da revista aliado a diferenciais como vídeos com o passo a passo do preparo de diversas receitas e meios para a participação e integrações dos leitores com a empresa. A versão impressa tem tiragem de 300 mil exemplares e circula trimestralmente em todo o país. Vale lembrar que a versão online da Nestlé com Você e de todas as outras revistas citadas nesta reportagem podem ser acessadas gratuitamente através da Apple Store.

ANER em busca da melhor capa: mande sugestões

Com esta capa, Época superou Atrevida e Super no ano passado

[U]ma boa capa de revista não é somente aquela que comunica melhor e vende mais, mas também aquela que fica indelével na memória dos leitores. Partindo deste princípio, a ANER anunciou neste mês que está aberta a “temporada de caça” à grande capa de revista publicada no último ano no país.

Se você acha que alguma de suas capas tem potencial para faturar a 3a edição do Concurso ANER Melhor Capa do Ano, basta acessar o site www.concursocapas.org.br até o próximo dia 4 de agosto e inscrever sua criação.  Vale lembrar que o regulamento limita a inscrição de três capas por revista, todas com data de publicação entre 1 de julho de 2010 e 30 de junho de 2011.

Após o período de inscrições, uma comissão julgadora selecionada pelo Conselho Diretor da ANER irá escolher as 16 finalistas que irão para voto popular através do site oficial da competição, onde ficam de 11 de agosto a 4 de setembro. Os três primeiros colocados serão anunciados no dia 12 de setembro, durante o V Fórum ANER, em São Paulo.

No ano passado, a Revista Época (Globo) conquistou o bicampeonato com uma capa que mostra o rosto de uma jovem em duas metades: uma saudável e a outra destruída pelas drogas. A publicação venceu no ano em que registrou-se número recorde de inscritos: 249 capas de 128 títulos lançados por 25 editoras de todo o país. Foram também finalistas as revistas Atrevida (Escala), com uma foto de Lady Gaga, e a Superinteressante (Abril), com uma capa cortada em tiras.

Na Europa, iPad já é a sexta maior plataforma publicitária

[D]esde que foi lançado, há quase um ano e meio, o iPad tem conquistado a preferência de usuários, produtores de conteúdo e anunciantes. Neste último caso, uma boa notícia: no último mês de maio, o tablet da Apple tornou-se o sexto maior dispositivo de publicidade em impressões de anúncio no continente europeu, segundo o site especializado InMobi.

Segundo este levantamento, o iPad foi responsável por mais de 80 milhões de impressões de anúncios na Europa, superando os demais fabricantes de tablets e atingindo um share global de 19,5%. Outro indício de sucesso do dispositivo da Apple é o fato dele já contabilizar, segundo a Net Market Share, mais de 1% de todo tráfego global da web – em agosto do ano passado era apenas 0,27%.

Já no caso específico do mercado norte-americano, o iPad ocupa o terceiro lugar entre os dispositivos móveis com maior tráfego web (2,1%), sendo superado apenas por iPhones (2,9%) e Androids (2,6%).  De acordo com este levantamento, os dispositivos móveis somados correspondem a 5,02% de todo o tráfego online americano, enquanto 0,03% viriam de consoles, como o Xbox 360 e o Playstation 3, e 94,62% de computadores e notebooks.

iPhone – Assim como o iPad, o iPhone também  faz sucesso na Europa, onde continua sendo o aparelho com maior número de impressões de anúncios: 509 milhões, com share de 13,8%. O aumento da popularidade dos dispositivos baseados em iOS fizeram o Android perder 6,1 pontos percentuais, mas o sistema do Google ainda segue respondendo por quase 1 bilhão de impressões de anúncios, com share de 26,9%. Se o tablet faz bonito, porque o telefone não faria?

Jornais alemães brigam para barrar conteúdo grátis no iPad

[A]o disponibilizar conteúdo gratuito em texto, vídeo e áudio, o site da primeira cadeia de televisão pública da Alemanha, a ARD, provocou o protesto de oito grandes grupos de comunicação do país. Estes conglomerados alegam concorrência desleal por meio dos iPads e já deram entrada a um pedido de punição no Tribunal de Colônia.

Segundo o presidente da Associação de Editores da Renânia do Norte-Vestfália, Christian Nienhaus, a ARD é financiada e, ao fornecer conteúdos de graça, acaba fazendo concorrência desleal com os portais de notícias. A ARD, por sua vez, argumenta que, como ente público, está legitimado para divulgar conteúdos por rádio, televisão e internet.

Com informações da Agência EFE

Novos títulos: Como Funciona e Revista ENEM

Revista é versão nacional da inglesa How it Works

[D]uas revistas de conhecimento chegam as bancas de todo o Brasil neste mês de julho. A revista “How it Works”, editada pela britânica Imagine Publishing, chega ao Brasil pelas mãos da Editora On Line e com o nome de “Como Funciona”. O contrato de licenciamento é válido por cinco anos e a linha editorial abrange as áreas de ciência, espaço, história, meio ambiente, tecnologia e transporte.

Com o slogan “a revista que alimenta a sua mente”, a “Como Funciona” custará R$ 9,90 e terá tiragem inicial de 80 mil exemplares, mas a expectativa da editora é chegar, com ajuda das assinaturas, a 150 mil até o fim do ano. A primeira edição apresenta como tema principal o poder do músculo e ainda oferece 966 curiosidades espalhadas por seis editorias. A revista irá seguir a proporção de 80% de conteúdo traduzido da versão inglesa e 20% produzido pela redação brasileira.

Apesar da concorrência forte no segmento, que já conta com as consagradas Superinteressante e Galileu, o presidente da Editora On Line, Paulo Houch, acredita que a “Como Funciona” conseguirá cavar seu espaço. “Ela é uma revista de interesse que foge bastante do projeto das nossas concorrentes, já que oferece muita informação rápida sobre vários temas. Ela é muito dinâmica, com vários gráficos e informações em forma de drops”, explica Paulo.

Publicação será regular e feita para colecionar

Revista ENEM – Outra publicação voltada para o conhecimento chega as bancas neste mês. Trata-se da “Revista ENEM”, primeiro título regular a tratar dos temas que são cobrados pelo Exame Nacional do Ensino Médio.

Com periodicidade mensal, editada pela Duetto, promete ser um material de apoio aos pré-vestibulandos que tentam o acesso ao ensino superior. A ideia é que os estudantes colecionem a revista, que deverá ter edições especiais voltadas a temas específicos conforme o exame for se aproximando.

Nesta primeira edição, a Revista ENEM traz 64 páginas com exercícios de probabilidade, os riscos ambientais do esgoto doméstico, hidrogênio como fonte limpa para combustíveis, biodiversidade ameaçada e dicas para tirar nota 10 na redação. A publicação custa R$ 9,90.

Bem vindos! Confira os novos associados ANER de julho

[N]este mês de julho, a ANER confirmou o registro de mais três editoras brasileiras, aumentando ainda mais o alcance e a força de sua comunidade de revistas. Uma delas é a Estúdio Gama, que iniciou suas atividades em 2009 e hoje publica três títulos, todos com 20 mil exemplares de tiragem em banca e periodicidade bimestral: Fotomania, Manual do Construtor e Receitas de Cecília Fernandes.

Já a Meta 29 dedica-se exclusivamente a produzir a revista 29 Horas, título mensal com conteúdo sobre turismo, artes, gastronomia, comportamento e roteiro do que pode ser feito em São Paulo que é distribuído gratuitamente e com exclusividade nas salas de embarque do Aeroporto de Congonhas. A tiragem da publicação é de 65 mil exemplares/mês.

A ANER também recebeu neste mês a inscrição da EdiCase, empresa de assessoria em circulação, especializada em viabilizar a distribuição de revistas com tiragens menores, publicações segmentadas e de editores recém-ingressados no mercado editorial. Assim, por ser uma distribuidora, a EdiCase não tem nenhum título próprio registrado.

ABA realiza fórum sobre procurement

[A] Associação Brasileira de Anunciantes (ABA) realiza no dia 27 de julho, em São Paulo, o I Fórum ABA Procurement. A proposta do encontro é iniciar uma ampla discussão dos processos de compra que envolvem marketing e procurement, seus desafios e oportunidades, através de experiências e práticas adotadas pelas organizações e fornecedores, nas diversas etapas de desenvolvimento e conclusão das negociações.

A ABA oferece aos associados da ANER as mesmas condições de inscrição de seus associados. Para isso, basta usar o código PRO-ANER quando solicitar sua inscrição. Mais informações e o programa completo do fórum, que tem como público-alvo diretores, gerentes e coordenadores de compras e marketing, profissionais de agências, veículos e produtoras, podem ser acessadas no site da ABA: http://www.aba.com.br/site/Pagina.aspx?t=evento_det&IdEvento=4202.

Selecionamos outros textos para você