#09: ANER divulga finalistas do concurso Capa do Ano 2011

[N]ão foi fácil. O desafio de escolher 16 capas entre 318 concorrentes deixou o júri da ANER bastante apreensivo. “Vida dura!”, exclamou o revisteiro Thomaz Souto Corrêa (Editora Abril) diante da mesa farta de publicações dos mais diversos gêneros. Além dele, estavam na missão Roberto Muylaert (ANER), Carlos Grassetti (Editora Abril), José Pequeno (Editora Globo), Welby Dantas (Editora Europa), Patrícia Paiva (Editora On Line) e Rodney Monti (RMC).

Júri concentrado na escolha das 16 finalistas do concurso (foto: Julio Simões)

“Acho que haviam várias capas parecidas, mas conseguimos separar algumas que conseguiam fugir do lugar comum”, analisou José Pequeno, cuja opinião foi endossada por Welby Dantas. “Na banca, a briga é grande para se sobressair. Tem que contemplar o público, o editorial e o mercado. O que antigamente era inovador, hoje é comum. Não é fácil fugir do óbvio”.

2010 2011 Variação
Editoras 25 31 + 24%
Capas 249 318 + 27,7%
Títulos 128 147 + 14,8%
Fonte: ANER

Já Carlos Grassetti, que participou da escolha dos finalistas nos últimos dois anos, garante ter visto evolução em qualidade e quantidade. “Tivemos mais capas criativas e ousadas neste ano. Dentro do panorama, houve inovação. O grande desafio é se vender fugindo da fórmula”.

Agora, a decisão está na mão do público. Até o próximo dia 4 de setembro, é possível votar na preferida através do www.concursocapas.org.br. O resultado será divulgado durante o V Fórum ANER de Revistas no dia 12 de setembro, em São Paulo. Em 2009 e 2010, a capa vencedora foi publicada pela Revista Época (Editora Globo). E agora? Quem ostentará o título de melhor capa do ano no Brasil?

Joan Solá e o alcance global da Zinio

Joan Solá (foto: divulgação)

[A]braçar o mundo (ao menos o das revistas) está nos planos da Zinio. A pioneira no crescente segmento de distribuição digital de conteúdo quer se manter como “a maior banca de revistas do mundo” – hoje oferece publicações em 25 línguas. Por isso, ganha importância a presença o executivo espanhol Joan Solá,  presidente da Zinio International, no V Fórum ANER.

O aplicativo Zinio Reader nada mais é que uma banca virtual de revistas, onde é possível comprar, ler, guardar e compartilhar publicações do mundo todo, sincronizando-as com dispositivos como iPads, iPhones e tablets Android. Os mesmos recursos estão disponíveis também para desktops e laptops com sistema operacional Windows, Mac OSX e Linux.

Por meio de uma interface elegante e limpa, o aplicativo permite adquirir exemplares avulsos ou fechar planos de assinaturas (“Shop”), visualizar e guardar as todas as edições como em uma biblioteca (“Read”) e até ler reportagens avulsas na íntegra sem precisar adquirir a edição ou assinar a publicação, como forma de degustar o conteúdo antes de decidir pela compra (“Explore”). Tudo isso com velocidade e conforto, fundamentais para quem gosta de ler sem grandes percalços ou sustos.

Durante o V Fórum ANER de Revistas, Joan Solá participará da mesa “Marketplace, Distribuição Digital de Conteúdo, Banca Virtual, Novas oportunidades” ao lado de Fernando Cirne, diretor de e-commerce da Editora Abril, e de Jonas Suassuna, presidente do Grupo Gol Mobile. Será a grande oportunidade de saber quais são os planos de dominação do mundo (das revistas, claro) da Zinio.

Programe-se: novos workshops ANER em agosto e setembro

[I]nteressada na especialização dos profissionais do mercado de revistas, a ANER prepara mais dois workshops para agosto e setembro. No primeiro, dia 30/08, o diretor jurídico da entidade, Lourival J. Santos, falará sobre como editar e comercializar revistas sem conflitos fiscais. A palestra será na sede da entidade, em São Paulo, das 8h30 às 12h.

Já no dia 27/09, também das 8h30 às 12h, o auditório da associação receberá outro encontro, desta vez sobre questões trabalhistas, novamente sob o comando do advogado Lourival J. Santos. Para ambos os casos, as inscrições podem ser feitas pelo e-mail aner@aner.org.br. As vagas são limitadas.

ANER atualiza código de ética; leia entrevista com o criador

Thomaz Souto Corrêa em foto de Fernanda Frazão

[C]riada no fim da década de 80, a lista de princípios éticos recomendados pela ANER a seus associados sofreu atualização recente. A adição de um nono item, sobre governança corporativa e sustentabilidade, visa modernizar e reafirmar a importância de diretrizes morais para o bom exercício do jornalismo em um momento que tentativas de restringir a liberdade de expressão são cada vez mais comuns. Idealizador do código, Thomaz Souto Corrêa, concordou com a atualização: “Serve para chamar a atenção ao tema”. Confira a entrevista com o seu criador e a lista dos princípios éticos atualizados:

EMREVISTA: Como foi o processo de criação desse código?

Thomaz Souto Corrêa: Quando assumi a ANER, ela não tinha código. Todas as outras associações de mídia já tinham e nós achamos que deveríamos ter também. A diretoria me apoiou e lembro que estudamos tanto o que estava era feito no país quanto lá fora. Nesse momento, o dr. Lourival (J. Santos, advogado) foi muito importante, pois haviam considerações de ordem jurídica e política envolvidas. E eu também não queria fazer uma coisa muito complicada, empolada, que fosse um documento complexo. Queria fazer uma coisa simples que tratasse daquilo que, no fundo, era simples. Obviamente somos a favor da liberdade de expressão, dos direitos do leitor e dos veículos, enfim, coisas óbvias. Tanto que não são 10 itens, eram oito e agora são nove. Não precisa ser um número redondo, senão você acaba colocando coisa meia-boca só para completar. Por isso o código foi criado só com oito e está aí até hoje.

ER: Por que criar um código de ética e não regras de auto-regulamentação?

TSC: A intenção não era ser punitivo, mas um enumerado de diretrizes. A gente acha que o bom comportamento de nossos associados tem que passar por esses itens. Não havia nenhuma intenção de punir e nunca chegamos a isso. Alguns estrangeiros fazem algo mais rígido, mas nós não.

ER: Como você vê os recentes casos de restrição à liberdade de expressão?

TSC: Eu acho que os jornalistas estão ficando mais duros, e isso é bom para o país, que vive um momento de corrupção exacerbada. Cada vez que acontece um episódio como este da Veja (o editor Rodrigo Rangel foi agredido pelo lobista Julio Fróes durante uma apuração sobre o Ministério da Agricultura), o povo ganha. Nós ganhamos porque isso expõe cada vez mais o bando de corruptos agindo abertamente dentro das entranhas do Governo. Se a imprensa não faz esse papel, ninguém vai fazer. É claro que alguns jornalistas vão sofrer algum tipo de agressão, seja ela física ou não, e eu lamento pelo dente quebrado do jornalista da Veja, mas acho esse tipo de denúncia é muito positiva.

ER: O que acha das propostas de criação de um Conselho Federal de Jornalismo?

TSC: Sou absolutamente contra. Em primeiro lugar, quem vigia o jornalismo é o leitor. Ele pode até ser leniente com relação à imprensa, mas é seu maior vigilante. Em segundo lugar, o maior fiscal deve ser o próprio órgão.  Por isso eu acho que cada um deveria ter a sua regulamentação, seus princípios e regras. Eu não acredito que um órgão externo, um “Tribunal Superior de Jornalismo”, seria capaz de julgar um repórter de um jornal, de uma revista. Acho que, no caso de imprensa, não deve haver um órgão regulador. Sou violentamente contra isso.

ER: Para finalizar, qual a importância dessa atualização do código?

TSC: Acho que, na circunstância atual do mundo, todos devem se engajar em uma causa de sustentabilidade. Creio que esta nova diretriz do código de ética serve para chamar a atenção de nossos associados ao tema.  A ideia é que todos, independente do tamanho, se engajem, até porque ainda vamos usar o papel, por exemplo, por um bom tempo. E mesmo que não usássemos, é uma causa a ser defendida. Quem compra papel importado sabe que, no exterior, eles são muito responsáveis, que cortam uma árvore, mas plantam sete. Mas independente de usarmos papel ou sermos digitais, é uma causa que nós temos que estar empenhados para poder salvar o planeta.

Princípios éticos recomendados pela ANER às editoras associadas
1. Manter a independência editorial, trabalhando exclusivamente para o leitor.
2. Garantir, efetivamente e sem subterfúgios, o direito de resposta aos que provarem que foram difamados, caluniados ou injustiçados.
3. Zelar pela liberdade de expressão e pelo livre exercício da profissão de jornalista.
4. Assegurar ao leitor as diferentes versões de um fato e as diversas tendências de opinião da sociedade sobre esse fato.
5. Preservar o sigilo de fontes.
6. Respeitar o direito à privacidade, à honra e à imagem do indivíduo, salvo quando esse direito constituir obstáculo à informação de interesse público.
7. Diferenciar espaço editorial e espaço publicitário de maneira facilmente identificável pelo leitor.
8. Defender os direitos humanos, os valores da democracia representativa e a livre iniciativa.
9. Observar os princípios de governança corporativa e sustentabilidade.

ANER repudia violência contra jornalista da Veja

Rodrigo Rangel em foto de Cristiano Mariz

[A] ANER-Associação Nacional de Editores de Revistas repudia a agressão física sofrida no último dia 4 pelo editor Rodrigo Rangel, da revista Veja, no cumprimento de seu dever como profissional responsável. 
Rangel procurava ouvir a versão do lobista Júlio Fróes, com atuação no Ministério da Agricultura, em Brasília, sobre fatos documentados pela própria revista, em reportagem publicada em seu número anterior.

A agressão sofrida pelo editor atinge todos os colegas que trabalham na imprensa brasileira, a demonstrar, mais uma vez, a importância da existência de uma imprensa livre no país, como último obstáculo para que eventuais malfeitos que possam ocorrer na área pública, não deixem de ser apontados, em benefício do próprio país, e da grande maioria de cidadãos responsáveis que compõe a população, e que igualmente repudiam fatos lamentáveis como o ocorrido.

Entenda o caso: Jornalista de Veja é agredido por lobista ao investigar falcatruas no Ministério da Agricultura | Com sala privativa no Ministério da Agricultura, lobista libera verbas e corrompe servidores

Palavra do Presidente: Já se inscreveu no V Fórum ANER? Está na hora!

Roberto Muylaert - Foto: Toni Pires/Spring

[E]ste boletim da ANER procura mostrar aos nossos associados e amigos um pouco do que a entidade vem fazendo no sentido de apoiar e esclarecer os revisteiros nos diversos assuntos que vão surgindo, e que dizem respeito a legislação, novas tecnologias, questões administrativas, e também às diversas formas de distribuição de conteúdo com que convivemos cada vez mais nas redações. A verdade é que ninguém mais pensa apenas na versão em papel, embora ela continue sendo primordial na vida das editoras, agora reforçada pela convivência harmoniosa com as versões digitais.

Quando montamos a pauta de assuntos para mais uma viagem a Brasília percebemos a quantidade de questões da área federal que a ANER acompanha, como Nota Fiscal Eletrônica, Vale-Cultura, Direito Autoral, Livro Popular, Legislação Fiscal, pesquisas sobre os meios de comunicação, sempre com o apoio do escritório da Patri, que nos assessora e ajuda a buscar os melhores e mais legítimos interesses de quem faz revista.

Enquanto isso, trabalhamos firme no nosso V Fórum ANER, do dia 12 de setembro, confirmando a presença de grandes nomes do Brasil e do Exterior que estarão atualizando conceitos importantes para conhecimento dos revisteiros. E o pessoal da sua editora, já se inscreveu? Aproveite que os descontos só vão até o dia 20!

Roberto Muylaert
Presidente da ANER

Eventos: Liberdade de Expressão, Design e Economia Criativa, Novas Tecnologias

[L]iberdade de Expressão – No dia 23 de agosto, na Câmara dos Deputados, em Brasília, acontece a VI Conferência Legislativa sobre Liberdade de Expressão, promovida pelo instituto Palavra Aberta. A confirmação de presença pode ser feita com Daniela Ramos no telefone (11) 3034 5295 ou pelo e-mail danielaramos@palavraaberta.org.br.

Design e Economia Criativa – Nos dias 22 e 23 de agosto, em São Paulo, acontece a III Conferência Internacional MOB Design, promovida pela Associação Objeto Brasil. As inscrições podem ser feitas pelo site www.ideabrasil.com.br e os 100 primeiros inscritos concorrem a um bate-papo de 30 minutos com quatro palestrantes do evento.

Novas tecnologias – Nos dias 1 e 2 de setembro, em São Paulo, acontece o 2o INFO@Trends, promovido pela Editora Abril. As inscrições para o evento, que promete palestras de Julian Assange (Wikileaks) e Arianna Huffington (The Huffington Post), podem ser feitas pelo www.infotrends.com.br. Associado ANER tem 20% de desconto.

Livro – Lançado simultaneamente no Brasil e em Portugal, o livro “Gestão Estratégica e Modelos de Negócio – O Caso da Indústria da Mídia”, de Paulo Faustino e Ramiro Gonçalez, trata o fato de as plataformas online capturarem a audiência off-line, mas não suas receitas. Publicado pela MediaXXI/Formalpress, está à venda no país por R$ 39.

Catálogo completo da Time Inc. ganha versão para tablet

[T]ime, People, Sports Illustrated, InStyle, Fortune e todo o catálogo de 21 revistas do grupo Time Inc. ganhará versão para tablet até o fim de 2011. A norte-americana será a primeira das grandes editoras dos Estados Unidos a disponibilizar todos os seus títulos nas principais plataformas digitais através de produtos desenvolvidos especificamente para o meio.

“Agora é a hora. Está claro que, no próximo ano, muitos consumidores passarão a usar tablets, acelerando a demanda por conteúdo e aumentando o interesse de anunciantes. Estamos nos posicionando para tirar vantagem disso”, explicou o vice-presidente executivo da empresa, Maurice Edelson, ao site da empresa. Por enquanto, somente quatro revistas do grupo têm sua versão digital, todas com bons índices de download.

Segundo a empresa, centenas de milhares de leitores acostumados ao impresso estão se aproveitando da gratuidade oferecida para incluir a versão digital das revistas em seus planos de assinaturas. Quando todo o processo de migração for concluído, os títulos da Time Inc. poderão ser acessados por dispositivos como iPad, Android, BlackBerry e Nook.

New Yorker alcança 100 mil leitores no iPad

[A] revista The New Yorker, da Editora Condé Nast, anunciou ter alcançado 100 mil leitores em sua versão para iPad nos Estados Unidos. Destes, 20 mil optaram pela assinatura anual ao custo de US$ 59,99 (R$ 94) e outros 75 mil aproveitaram uma oferta de aplicativo gratuito para assinantes.

Esse número ainda pode ser considerado pequeno se comparado ao universo de 1 milhão de assinantes da versão impressa. Porém, o mérito está na opção da revista em manter seu tradicional foco em texto também no aplicativo, abrindo mão de recursos gráficos mirabolantes.

De acordo com a editora Pamela Maffei McCarthy, os poucos detalhes oferecidos na versão para iPad passam por avaliação para identificar se vão acrescentar valor ao material ou não. Os recursos utilizados pela New Yorker vão de áudio de poetas lendo seus trabalhos ao acesso a documentos citados nas reportagens.

Com informações do The New York Times e Folha de S. Paulo.

Mídia impressa segue no topo entre ricos dos EUA

[O]s americanos com alto poder aquisitivo (renda familiar anual a partir de US$ 100 mil) preferem consumir informação em seus formatos originais. É o que conclui o instituto de pesquisa Ipsos, que entre março e maio deste ano realizou mais de mil entrevistas com internautas posicionados dentro dos “20% que detêm cerca de 60% da renda norte-americana”, segundo comparação do AdAge.

O levantamento constatou que 93% destes consomem e têm preferência por versões impressas de revistas, enquanto 27% admitiu o hábito de acompanhar as publicações pela tela do computador e 9% pelo smartphone. Até mesmo entre os jovens ricos a aceitação é boa. Dos entrevistados com idade entre 18 e 34 anos, 88% leem revistas em papel, enquanto 35% o fazem via internet e 17% via smartphone.

Com informações do Blog do Fernando Rodrigues, Meio&Mensagem e AdAge.

Novos títulos: Select, Carro Hoje e Quero Saber

[M]ais três lançamentos chegam às bancas neste fim de mês. Com foco em arte, design, cultura contemporânea e tecnologia, a revista Select, da Editora Três, custa R$ 14,90 e tem periodicidade bimestral. Uma versão teste da revista havia sido distribuída em maio (veja abaixo), mas a editora considera esta edição de agosto como sendo a primeira.

Já a Motorpress Brasil lança a Carro Hoje, semanal com tiragem de 100 mil exemplares que pretende informar sobre o mercado de compra e venda de veículos e dar dicas para o cotidiano dos motoristas. A revista custará R$ 3,50 e será distribuída nacionalmente. Em São Paulo, a publicação circulará ainda com um caderno de varejo em anexo.

A Quero Saber, por outro lado, é uma revista mensal da Editora OnLine cujo foco são as curiosidades e bizarrices. No primeiro número, a publicação mostra rituais esquisitos que envolvem canibalismo, orgia e sacrifício humano, além de vampiros, zumbis, lobisomens e seres sobrenaturais. A revista custa R$ 7,99 e tem distribuição nacional.

Novos associados: Itaú Cultural

[N]este mês, mais um grande nome está se associando à ANER. Trata-se do Itaú Cultural, sociedade sem fins lucrativos que publica a revista Continuum desde 2006. Em 2010, o título foi laureado com o Prêmio Antônio Bento da Associação Brasileira dos Críticos de Arte na categoria “Melhor Veículo de Divulgação das Artes Visuais”.

Especializada em assuntos de arte e cultura tanto brasileira quanto estrangeira, a publicação tem tiragem bimestral de 10 mil exemplares, distribuídos gratuitamente a bibliotecas de instituições educacionais e outros institutos culturais, além de mais de 1.500 formadores de opinião e profissionais de arte e cultura.

Leia aqui a última edição da Continuum, em PDF.

Aconteceu na ANER: Viagem a Bauru, Publicidade, IVC e Forcom

[V]iagem a Bauru – No dia 5 de agosto, uma comitiva da ANER viajou até Bauru (SP) para acompanhar a nomeação de João Carlos de Almeida, o João Bidu, como “empresário do ano” na cidade. A ANER o parabeniza pela homenagem da Associação Comercial e Industrial de Bauru (Acib) e pelas ações sociais que mantém junto com a Editora Alto Astral, uma das maiores do país no segmento de revistas femininas de baixo custo.

Veiculação de publicidade – No dia 11 de agosto, na sede da ANER, representantes do comitê jurídico se reuniram para prosseguir as discussões sobre cobrança de publicidade em meio impresso e digital. Na reunião, foram analisados os questionários enviados às editoras depois do último encontro, cujo objetivo era saber como elas têm se comportado diante do panorama atual.

IVC – No dia 11 de agosto, na sede da ANER, representantes do comitê de revistas do Instituto de Verificação de Circulação (IVC) se reuniram para debater temas relevantes, entre eles o referente à auditoria de revistas em tablets, que já está disponível para consulta dos interessados (mais informações no site do IVC).

Forcom – Neste mês de agosto, 35 entidades representativas do setor se reuniram para iniciar os preparativos para o V Congresso Brasileiro da Indústria da Comunicação (Forcom), que acontece nos dias 14, 15 e 16 de maio de 2012. Agora, ANER, ANJ e Abert irão se reunir para decidir o que irão apresentar na próxima edição do evento.

Selecionamos outros textos para você