#15: Orquestra resgata Moacir Santos em festa da ANER

[A] noite do dia 21 de novembro não será especial apenas por comemorar os 25 anos da ANER. Será também memorável porque relembrará, por uma hora e meia, o trabalho de um dos mais importantes músicos brasileiros de todos os tempos: o compositor, arranjador, maestro e instrumentista Moacir Santos. No evento, parte de sua obra será interpretada pela Orquestra Ouro Negro, com produção musical de Mário Adnet e Zé Nogueira. A festa acontece no Teatro Alfa, em São Paulo, com entrada para convidados da ANER (solicite seu convite pelo aner@aner.org.br).

Tão bom quanto desconhecido em seu próprio país, o pernambucano Moacir Santos nasceu em 1924 e aprendeu as técnicas do clarinete logo aos 11 anos de idade. Depois de se apresentar com bandas por todo o Nordeste, mudou-se para o Rio de Janeiro em 1948, onde começou a trabalhar na Rádio Nacional. Na cidade, fez parceria com Vinicius de Moraes (que o homenageia em “Samba da Benção”), além de ter sido professor daqueles que viriam a ser grandes nomes da bossa nova como Baden Powell, João Donato, Nara Leão, Roberto Menescal e Sérgio Mendes.

Vinicius de Moraes, em “Samba da Benção”, recita: “A benção, maestro Moacir Santos/que não é um só, és tantos/como meu Brasil de todos os santos, inclusive meu São Sebastião”

No entanto, mudou-se para os Estados Unidos em 1967, onde foi descoberto pelo pianista Horace Silver, ex-parceiro de Miles Davis e Stan Getz. Lá, recebeu uma indicação ao Grammy, o Oscar da indústria fonográfica americana, e trabalhou com Henry Mancini, famoso compositor de trilhas sonoras, entre elas a de “Bonequinha de Luxo” (1961). “Percebi que no Brasil o público não havia compreendido minha música”, justificou a Revista E do SESC em agosto de 2005, um ano antes de sua morte.

Agora, a primorosa música de Moacir Santos terá mais uma chance de alcançar os ouvidos de quem ainda não teve a honra de conhecê-la. Será uma oportunidade única de ouvir as canções compostas pelo multiinstrumentista (tocava, além de clarinete, sax, piano, trompete, banjo, violão e bateria), executadas por renomados músicos brasileiros, em apresentação única e exclusiva na cidade. Vai perder?

LEIA TAMBÉM: Íntegra da entrevista de Moacir Santos para a Revista E, do SESC (2005)

Novo executivo da Abril compara reinvenção pessoal com a do mercado

[C]onvidado a falar para o meio publicitário em um café da manhã promovido por ANER e ABA no fim de outubro, em São Paulo, o novo presidente executivo da Abril, Fábio Barbosa, demonstrou otimismo com o novo rumo da carreira e com os desafios que o mercado de revistas irá lhe oferecer. Para ele, a reinvenção será dupla, já que sua adaptação ocorrerá simultaneamente às mudanças do meio.

Fábio Barbosa, CEO da Abril - Crédito: Mikio Fotos

Fábio não é propriamente um “estranho no ninho”, já que compôs o Conselho de Administração do Grupo Abril entre 2004 e 2007, mas sua carreira foi construída principalmente no mercado financeiro. Depois de 12 anos na Nestlé, passou 25 anos atuando em instituições como Citibank, ABN Amro, Banco Real e Santander antes de assumir a presidência executiva da Abril S/A.

Para ele, um dos motivos da mudança foi a possibilidade de lidar com pessoas e com a produção de informação. “Achei que gostava de economia, mas gosto de gente”, justificou Fábio, que completava naquele dia exatos 30 dias no cargo. “É tudo muito novo, mas já tenho bom relacionamento com a equipe”, complementou.

Embora tenha evitado falar sobre as estratégias da empresa que assumiu, Fábio Barbosa demonstrou que a tendência é fortalecer as marcas e o conteúdo produzido por ela, seja qual for a mídia. “Assim como estou me reinventando, as revistas também têm esse desafio. Tudo isso sem perder a essência, já que muda a forma, mas não o conteúdo.”

“É hora de agir” – Na palestra de 15 minutos, Fábio evitou falar sobre a Abril e usou a larga experiência em finanças para expor dados socioeconômicos do Brasil. Para ele, o país precisa aproveitar o bom momento, mesmo com a crise externa. No fim, slides com “É hora de agir” e “É crer para ver” reforçaram sua ideia de que o mercado de revistas também precisa aproveitar a boa fase brasileira.

[nggallery id=5]

LEIA TAMBÉM: Fábio Barbosa: otimismo com país e revistas (M&M) | Presidente da Abril S.A, Fábio Barbosa, diz que entrou para a mídia por “gostar de gente” (C-se) | A repaginação do mercado de revistas me motivou a mudar de setor, diz CEO da Abril (Portal Imprensa)

Primeiro jornal exclusivo para iPad ainda não emplacou, diz especialista 

Por Isabela Rosito, enviada especial a Gurgaon (Índia)

[O] primeiro aplicativo de notícias exclusivo para iPad do mundo, The Daily, está longe de ser um sucesso de vendas. Com um investimento inicial de U$ 30 milhões e um custo operacional de U$ 500 mil por semana, o produto da Newscorp, criado em parceria com a Apple, conquistou somente 20 mil assinantes desde o seu lançamento, em fevereiro deste ano.

A informação foi apresentada por Peter Kreisky,  da consultoria americana Kreisky Media, durante o 38o FIPP World Magazine Congress, realizado na Índia, no último mês de outubro.  O aplicativo, que pode ser encontrado na App Store, é grátis até a segunda semana de uso, quando passa a custar US$ 0,99 por semana ou US$ 39,99 por ano.

Tyler Brûlé recebe prêmio de “Editor do Ano” da revista Ad Age

[O] canadense Tyler Brûlé, criador da revista Wallpaper e editor-executivo da Monocle, recebeu o prêmio “Editor do Ano” da revista Advertising Age (AdAge), uma das mais relevantes sobre o mercado publicitário no mundo. O editor esteve no Brasil em setembro passado, quando participou do V Fórum ANER de Revistas, em São Paulo (clique aqui e veja como foi).

Tyler Brûlé em foto de Martin Argles

Tyler foi premiado pelo trabalho que vem fazendo frente a Monocle, projeto lançado em 2007, anos depois de ter negociado a Wallpaper com o grupo Time Inc. Desde então, o editor e sua equipe, formada por correspondentes espalhados em várias partes do globo, têm produzido uma revista de distinta qualidade editorial e gráfica que aborda assuntos que vão de política externa a estilo de vida.

Outros diferenciais do projeto são as lojas oficiais da revista em algumas cidades estratégicas (Londres, Hong Kong, Tóquio, Nova Iorque, Beijing e Osaka), onde são comercializados produtos licenciados ou de marcas indicadas pela revista, e a recém-lançada rádio de conteúdo exclusivo transmitida 24 horas por dia via internet.

Vogue, a “Revista do Ano” – O recente crescimento no número de páginas publicitárias foi o principal motivo para que a Vogue fosse escolhida como “Revista do Ano” pela AdAge. Não à toa, a publicação conseguiu crescer 9% em publicidade entre janeiro e outubro de 2011, valor que chega a 13% de aumento quando comparado ao primeiro semestre do ano passado. Para se ter uma ideia, o título teve impressionantes 584 páginas de anúncio somente na edição de setembro.

LEIA TAMBÉM: Ad Age Magazine List: Tyler Brule is Editor of the Year (em inglês) | Vogue is Ad Age’s 2011 Magazine of the Year (em inglês) | A inovação criativa de Tyler Brule (EMREVISTA #08, em português) 

Palavra do Presidente: A festa de Carta Capital foi sucesso

Roberto Muylaert por Toni Pires (Spring)

[C]omo dizia o deputado Ulysses Guimarães, a política é como as nuvens. Cada vez que a gente olha para o céu, o desenho já mudou, o panorama ficou diferente.

Foi bonita a festa da revista Carta Capital realizada no último dia 31 de outubro, mostrando o prestígio da publicação e o poder que tem uma revista, com maior ou menor circulação, de reunir todas as autoridades e todos os empresários que contam neste país, em uma noite em que, ao final, se recebeu a edição de aniversário da revista, onde brilhavam as empresas e os empresários mais admirados do Brasil. Uma edição bem aquinhoada pela publicidade, para alegria da dedicada e competente Manoela Carta, a publisher do semanário, responsável pelo evento.

Foi também anunciado o novo sócio da Carta Capital, Eduardo Rocha Azevedo, que, como informou Mino Carta, comprou 30% da editora Confiança, trazendo oportuno reforço de caixa para a empresa.

Mas não estava o Lula, que fazia sua primeira aplicação de quimioterapia para combater um câncer na laringe. Por isso mesmo, o desenho das nuvens já mudou, reforçando-se a tese de que nossa primeira mulher-presidente reúne agora mais condições para conquistar a reeleição.

O argumento de um colega jornalista a favor da tese foi resumida em uma frase, entre arguta e maldosa: “sem voz e sem barba, diminuíram as chances de Lula fazer política a curto prazo”.

Um abraço,
Roberto Muylaert

Eventos: WMM 2012 e Palavra Aberta

World Magazine Marketplace 2012 – Editoras que atualmente não publicam nenhum título licenciado ou sem nenhuma ligação com editoras internacionais podem participar da 11ª edição da World Magazine Marketplace, a maior feira de licenciamento e syndication do mercado internacional de revistas, sem ter que pagar a taxa de inscrição de £ 650 (cerca de R$ 1.800). A WMM acontecerá  de 29 a 30 de maio de 2012, em Londres. Para maiores informações, contate Claire Jones (Claire@fipp.com) ou  visite o site www.wmm.net.

Liberdade de Expressão – No dia 8 de novembro, das 14h30 às 16h30, acontecerá o seminário “Solte a Palavra: Liberdade de expressão é coisa de jovem?”, na sede da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em São Paulo. O evento tem como objetivo aprofundar a discussão acerca da liberdade de expressão e ainda representar o lançamento simbólico do blog Pravda. Inscrições podem ser feitas pelo e-mail: palavraaberta@palavraaberta.org.br. Grátis.

Seu evento aqui – Sua editora ou associação vai fazer um evento? Pois envie os dados principais (data, hora, local, inscrições e contato) para o e-mail jornalista@aner.org.br que teremos o maior prazer de divulgar na próxima edição do boletim EMREVISTA, veículo de cobertura do mercado de revistas com mais de 1.500 assinantes. Grátis, claro. 

Qualidade influencia nas vendas de apps editoriais, diz estudo

A qualidade dos aplicativos de revistas e jornais parece ser o fator mais importante para seu sucesso junto aos consumidores. É o que aponta o estudo iMonitor, da McPheters & Company, importante fonte independente de informações sobre circulação de jornais e revistas em tablets, que analisou 3 mil apps do mundo todo e concluiu que a qualidade tem maior peso do que, por exemplo, preço, disponibilidade, assinatura e dados demográficos do público.

“Qualidade” é a eficiência no download e na execução do aplicativo, além da presença de vídeo e áudio, navegabilidade, design, interatividade, integração às redes sociais, etc.

O grande problema é que a maioria dos aplicativos pesquisados não oferece grandes novidades se comparados ao impresso. Nos apps editoriais norte-americanos, 82% contêm apenas links, 69% podem se integrar com mídias sociais, 34% adicionam vídeo e 28% têm animação. O meio publicitário, por sua vez, também não parece adaptado à nova realidade, já que 68% dos anúncios incluem links, enquanto 18% usam vídeo e 17% têm integração com redes sociais.

Fonte: AdAge MediaWorks

LEIA TAMBÉM: What Matters Most in Magazine and Newspaper iPad Apps? Quality, Report Says (em inglês)

Projeto de lei de incentivo aos quadrinhos é debatido em Brasília

[N]o dia 27 de outubro, representantes da ANER e da Associação dos Cartunistas do Brasil (ACB) estiveram reunidos com parlamentares da Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Câmara dos Deputados, em Brasília, para discutir o projeto de lei que cria mecanismos de incentivo para produção, publicação e distribuição de revistas em quadrinhos nacionais. Tallis Arruda participou do debate pela ANER, enquanto José Alberto Lovetro representou a ACB. Do lado parlamentar, estiveram presentes os deputados Nazareno Fonteles (PT/PI), presidente da audiência; Rui Costa (PT/BA), relator do projeto e autor do requerimento do debate; Vicentinho (PT/SP), autor do projeto de lei; e Tiririca (PR/SP).

A audiência foi solicitada para debater sobre o projeto de lei 6060/09, que determina que editoras publiquem 20% de histórias em quadrinhos de origem nacional, no mínimo. O PL estabelece ainda que veículos impressos diários, semanais ou mensais, observem a relação de uma tira nacional para cada tira estrangeira, e que o poder público implemente medidas de apoio e incentivo à produção, tais como inserir disciplinas práticas e estimular a leitura em sala de aula.

O advogado da ANER lembrou que a reserva de 20% fere os princípios constitucionais e defendeu que sejam criados incentivos às editoras em detrimento da obrigação da reserva. Já o enviado da ACB sugeriu que sejam feitos acordos de mercado para potencializar a produção em até três vezes, sem deixar de considerar a possibilidade de ampliar, gradativamente, a reserva de 20% para até 50% a partir de incentivos. No fim, o relator se dispôs a receber sugestões de alterações do texto e manifestou o desejo de expor um parecer o mais rápido possível.

Editora Globo cria núcleo de publicidade exclusivo para moda

[E]stratégico para o mercado publicitário de revistas, o setor de moda ganhou um núcleo exclusivo dentro da Editora Globo. Liderado por Sandra Maciel, que assume como gerente de publicidade nacional e internacional, a nova área pretende melhorar o atendimento aos anunciantes do segmento, considerado de peso dentro das publicações femininas da editora.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), o faturamento total das empresas desse mercado deve girar em torno de R$ 54 bilhões neste ano. Atualmente, a Editora Globo tem vários títulos com grande apelo em moda, caso das tradicionais Marie Claire, Criativa e Quem Acontece, além das recém-lançadas nacionalmente Vogue e GQ, publicadas com a marca Edições Globo/Condé Nast.

Fonte: Meio & Mensagem

Nova banca da Apple já traz lucros para editoras internacionais

[L]ançada a menos de um mês, a Newsstand (Banca, em português) da Apple já reflete nos números de editoras internacionais com aplicativos compatíveis ao novo recurso. Um exemplo é a Editora Condé Nast, que diz ter registrado crescimento de 268% nas vendas de assinaturas digitais semanais após a mudança, habilitada com a atualização do novo sistema operacional móvel da empresa (iOS5). As vendas avulsas, por sua vez, cresceram 142% em comparação às oito semanas anteriores.

Executivos da editora admitem que o lançamento do iPhone 4S e do iOS5 inflacionaram os índices, mas creem que logo o crescimento se estabilizará e será constante. A Condé Nast já tem nove títulos compatíves com a Banca (Allure, Brides, Glamour, Golf Digest, GQ, Self, The New Yorker, Vanity Fair e Wired) e pretende lançar outros três (Vogue, Bon Appetit e Condé Nast Traveler) até o início de 2012.

Fonte: PaidContent.org e Meio&Mensagem

O QUE É NEWSSTAND (BANCA)? CLIQUE E LEIA NOSSA ANÁLISE

LEIA TAMBÉM: Publishers See Apple Newsstand Sales Surge, But Ad Sales Slow To Follow (em inglês) | Apple’s Newsstand a Huge Success for Digital Publishers (em inglês)

ANER é homenageada em evento de 50 anos do IVC

[N]o último dia 27 de outubro, o Instituto Verificador de Circulação (IVC) comemorou seus 50 anos de existência com uma festa no espaço Rosa Rosarum, em São Paulo. O evento contou com a presença de profissionais do mercado, representantes de órgãos do governo nas esferas federal e estadual e de entidades, inclusive a ANER, que foi homenageada com um troféu entregue ao presidente Roberto Muylaert.

A escolha dos homenageados teve relação com a história do IVC. Na ocasião de sua criação, uma das entidades que apoiaram diretamente o novo instituto foi o Sindicato dos Proprietários de Jornais e Revistas, que, posteriormente, deixou de existir e foi substituído por outras três entidades: ANER, ANJ e Anatec, todas lembradas na noite de gala do IVC.
[nggallery id=6]

Novos Títulos: Harper’s Bazaar Brasil e Gemini8

Gisele é a capa da primeira Bazaar

[N]o começo do mês de novembro, mais um grande título internacional terá sua versão nacional chegando às bancas. Trata-se da Harper’s Bazaar, revista com 144 anos de história e circulação em 27 países. A versão brasileira do título de moda será editada pela Carta Editorial, que adquiriu os direitos diretamente com a Hearst Corporation, e terá tiragem de 50 mil exemplares mensais.

Gibi terá integração com TV e web

Na primeira edição brasileira, o destaque é a modelo Gisele Bündchen, que estampa a capa. Há ainda perfil com o estilista Pedro Lourenço, entrevista com Donatella Versace e reportagens com a filha de Tom Jobim, Maria Luiza, e com o ator Selton Mello. A chegada da Harper’s Bazaar é o primeiro de uma série de lançamentos da Carta Editorial – Esquire e House Beautiful são os próximos.

Quadrinhos – No segmento infantil, o lançamento deste começo de mês é o gibi Gemini8. Produzido pela TV PinGuim em parceria com a Editora Abril, o título é voltado para crianças entres 6 e 10 anos e conta as aventuras dos amigos Marco e Polo em um estranho planeta. A publicação, que promete integração intensa com web e televisão, tem periodicidade bimestral e preço de capa a R$ 1,95. Leia a primeira edição online aqui.

Aconteceu na ANER: Forcom, Heliópolis

[F]orcom – Em mais uma reunião de preparativos para o Forcom 2012, representantes da ANER, ANJ, Abert e Instituto Palavra Aberta se reuniram em um almoço para discutir os temas que serão debatidos durante o evento, que acontece durante três dias do mês de maio do ano que vem, no World Trade Center, em São Paulo.

Heliópolis – Dando prosseguimento ao estudo de Heliópolis, Oscar Collucci apresentou à ANER um relatório sobre a situação da região, material que incluiu dados, relatos de moradores e filmes produzidos. A entidade planeja lançar, no ano que vem, uma revista com fins sociais para circular dentro da favela, que atualmente registra mais de 100 mil habitantes, segundo o IBGE.

Selecionamos outros textos para você